21 de dezembro de 2014

Correr em Gramado - Desafio do Noel

     Como muitos sabem,  eu adoro uma corrida de rua. Desde 2012 participo de corridas e ano passado já estava até participando de meia maratonas. Agora, em minhas viagens eu sempre tendo juntar uma corrida nela, foi assim em Vila Velha, Paris, Londres, Nova Iorque, etc...

16 de outubro de 2014

Dia 5 - Piscina, Shopping, Cafeína


Corrida

     Não podia deixar de aproveitar o último dia sem uma corrida, não ? Mais uma vez, uma deliciosa corrida na beira da Praia de Copacabana, com o dia lindo, aberto e que prometia fazer muito calor !

     Este foi um dia mais "light" em passeios. Cris e Gabriel estavam com saudades e vontade de ir para um Shopping (afe!).


Piscina

     Depois da corrida e tomarmos café subimos para a piscina do hotel. O dia estava ensolarado,
muito calor e a água da piscina limpinha e gelada estava perfeita. Deu para refrescar e ficamos lá a manhã toda (ou o que restou dela), descansando à vontade.

La Mole

     Outra coisa que Cris estava com saudades era almoçar no La Mole, um restaurante que ela ia quando morava no Rio. Pegamos um táxi e fomos no La Mole de Ipanema da Rua Joana Angélica. O restaurante é muito com mesmo, fomos muito bem atendidos e a comida estava deliciosa. O preço é um pouco alto, mas vale o prato, muito bem servido e de qualidade.
   



Shopping


     De lá, pegamos um ônibus para um dos maiores shoppings: o Barra Shopping. Confesso que se eu
soubesse no que estava me "metendo" não iria até lá. Tinha na mente que não era muito longe, sabia que não era pertinho, mas demoramos quase 2 horas para chegar até lá ! Pelo caminho, passamos por bairros de favela (por baixo de uma das maiores, a Rocinha) e vários outros lugares. De certa forma é até interessante ver a diversidade da população, mas sinceramente, 2 horas em um ônibus é um tempo que não gostaria de perder, principalmente para ir passar uma tarde em um Shopping.
     O Barra Shopping é realmente imenso. Muito grande mesmo. Não se tem muito a dizer sobre este passeio, pois passear em Shopping é igual em qualquer lugar. Só destaco o brinquedo que eu e Gabriel fomos no HotZone de lá, que era como uma garra segurando 2 cadeiras, e que pedimos para irmos no nível 5, o mais radical de todos. Foi muito bom !!!

     Já na saída do Shopping foi um stress diferente. Nos dirigimos ao outro lado da pista através de um túnel bem largo, com policiais em quadriciclos, o que me confortou, mas logo depois, fomos atrás do ponto de ônibus, que estava um pouco afastado, tivemos que andar no escuro por alguns estabelecimentos e não havia calçada, eram estacionamentos ou entradas das lojas à beira da pista. O ponto de ônibus estava escuro, e fiquei atendo, mas com medo de um assalto. Um dos ônibus passou direto, tivemos que esperar um pouco mais e pegamos o próximo que passou. Felizmente estava vazio, mas mesmo assim, só fiquei mais tranquilizado quando chegamos em Copacabana, na altura do Forte. Este é um "passeio" que não repetiria, não da forma que fizemos.

Cafeína


     Para nos despedirmos, fomos novamente ao Cafeína, o mesmo restaurante que fomos quando chegamos para fazer um jantar caprichado e terminar esta pequena viagem muito bem, e como foi ! 

Viagem pequena, rápida e muito gostosa !

15 de outubro de 2014

Dia 4 - Corcovado, Fluminense, Colombo

Corrida

     Mais uma vez acordei cedo, umas 7:00 para correr na praia, e como sempre, muito prazeiroso. Ida e volta em Copacabana em um ritmo tranquilo, sem cansar é ótimo para começar o dia. O dia amanhecer claro e aberto, iria fazer muito sol neste dia.

     Depois do café da manhã no hotel, nos arrumamos e partimos para a parada de ônibus, e pegamos o ônibus que passava no Corcovado. Chegamos e desembarcamos em frente à Paróquia São Judas Tadeu, Cris queira visitá-la também, mas não foi possível. 
     Dali, tínhamos 2 opções: ou íamos de Van até o pé do Corcovado ou comprávamos um bilhete no trenzinho que nosnleva lá também, acho que até mais
acima. Mesmo tendo que esperar mais ou menos 1 hora, preferimos o trenzinho, pois como não aproveitar esse passeio único quando se está visitando um local ? Ainda mais para o Gabriel que nunca tinha ido lá ! Os bilhetes tem horário marcado, e como chegamos lá já tarde, tivemos que esperar bastante, mas o tempo passou rápido, esperamos um pouco na pracinha ao lado (muito mau conservada) e depois, quando chegou perto do nosso horário, ficamos mais dentro do local onde a fila já começava a se formar, e aproveitamos para tirar umas fotos de alguns locais lá dentro. 

Corcovado

     Chegada nossa hora, entramos na fila que já estava se formando e aguardamos. Logo que o trenzinho chegou e abriu as portas as pessoas foram liberadas e se amontoaram nas entradas dos vagões. Felizmente, não sei como (mas foi Gabriel que conseguiu), conseguimos sentar bem na frente do primeiro vagão. Não que ali fosse melhor, pois qualquer lugar iria ficar muito bem, mas gostei de lá. 
   

     O bondinho nos deixou em uma estação perto do Corcovado. Lá em cima ainda subimos bastante
para chegarmos até o pé do Cristo Redentor. Chegando lá, notamos que o tempo, apesar de ter amanhecido com sol, fechou um pouco. Na verdade ainda estava ensolarado, mas baixou uma nuvem bem aos pés do Corcovado, dificultando a visão da cidade. Lá em cima, muitos turistas aproveitavam a vista e o passeio. A nuvem estava tão espessa que quase nem deu para tirar fotos do Cristo, pois ela toda hora o encobria, tinha que esperar o momento certo para tirar com ele aparecendo.  Fotos da cidade estava praticamente impossível mesmo, tudo obstruído. Tínhamos que aproveitar algumas falhas para conseguir ver alguma coisa. 

     Depois de aproveitar mais  um pouco, a fome bateu e resolvemos voltar para almoçar. Tínhamos visto um restaurante logo no pé do Corcovado e resolvemos parar lá para almoçar. O lugar estava cheio, mas esperando só um pouco conseguimos
uma mesa para nos sentarmos. O restaurante era simples, nada sofisticado, mas me surpreendeu, pois a comida não era cara e era muito caprichada ! Pedimos um prato para 2 e veio um para 4, praticamente, muito bem servido, e parecia aquela comida brasileira feita em casa.

Fluminense

     Terminada nossa visita ao Cristo Redentor, voltamos pelo trenzinho e pegamos outro ônibus. Desembarcamos então no bairro das laranjeiras, pois Gabriel queria visitar a sede do Fluminense. Chegando lá, ele e Cris foram visitar, mas eu resolvi ficar de fora desse passeio e fiquei passeando pelo bairro, onde encontrei a sede do Governo do estado bem ali pertinho. 

  Confeitaria Colombo

   Depois de lá, pegamos mais um ônibus, dessa vez para o centro, pois a Cris queria fazer um lanche
na famosa Confeitaria Colombo. Chegamos lá também facilmente e pegamos a fila para entrar, que não estava pequena mas também não estava enorme. Esperamos só um pouco. O local é muito bonito, com decoração como original de décadas atrás, espelhos gigantes já antigos, talvez originais, ocupando toda a parede. Lá era tudo que a Cris gosta, e aproveitou ao máximo, pedimos um lanche completo, muito caprichado e ainda comeram uma super sobremesa. 

     Saímos de lá já era noite e fomos direto para o hotel. 


14 de outubro de 2014

Dia 3 - Pão de Açúcar, Jardim Botânico

Corrida

     Acordei cedo mais uma vez e fui correr na praia. O dia amanheceu nublado com neblina novamente, tempo perfeito para correr sem sofrer ! A praia já enchendo, algumas pessoas passeando, outras já tomando seu lugar na areia. O interessante é que parte da pista de carros fica fechada até uma certa hora. 

Pão de Açúcar


   Depois que Cris e Gabriel acordaram e de tomarmos nosso café da manhã, nos dirigimos ao ponto de ônibus perto do hotel (Barão de Ipanema). Nosso destino: Pão de Açúcar. Demorou somente um pouco mas conseguimos pegar o ônibus que ia direto ao nosso destino. A viagem foi tranquila (para os padrões brasileiros), o ônibus não estava cheio e chegamos à parada final cerca de 40 minutos depois. O ônibus para bem perto onde pegamos o bondinho, mas ainda precisamos andar uns 100 metros.
     Chegando lá, o local estava vazio. Compramos nossos ingressos facilmente (achei caro o preço: R$ 76,00 por pessoa, Gabriel pagava metade). Dica: se você sabe o dia que vai visitar, compre o ingresso on-line diretamente do site www.bondinho.com.br. Logo depois que entramos para subir no bondinho, notei que se formou uma fila gigantesca para a compra dos ingressos !
     O passeio do bondinho é muito gostoso. Já o tinha feito quando mais novo e esta vez foi para
relembrar a gostosa sensação de andar nele. O sol saiu com força, muito quente (ainda bem que estava de chapéu novo... rs), e não é preciso dizer que a vista lá de cima é linda, ainda no primeiro morro já é possível ter uma boa vista da cidade e chegando na parte mais alta então, nem se fala. Colocaram por lá alguns bondinhos utilizados antigamente para as pessoas terem idéia de como era feito no passado, e você pode entrar para tirar fotos. Existem também uma ou outra lanchonete lá, mas o preço é um abuso, tipo água ou lata de refrigerante a R$ 6,00 ! Sugiro que leve sua água !
     Outra coisa que achei interessante e impressionante é ver os aviões fazendo a aproximação para pouso no Aeroporto Santos Dumont. Eles passam bem baixo por cima da cidade e chegando na baía, fazem uma curva bem acentuada de 180º para chegar no aeroporto! Vi vários fazerem isso enquanto estava lá em cima observando. No morro mais alto (o chamado Pão de Açúcar) existe uma trilha onde você pode observar a natureza nativa do local e tirar fotos em alguns pontos chaves com vista para a cidade. Na volta, é importante ver como está a fila, pois pegamos uma grande para voltar e como o sol estava forte foi um pouco difícil suportar. 

Jardim Botânico


     Saindo do complexo do bondinho, voltamos à parada de ônibus para pegarmos a mesma linha e
dirigirmos ao Jardim Botânico. A viagem foi extensa, e por causa do calor, cansativa. Finalmente chegamos, mas passamos um pouco da parada mais perto da entrada do Jardim. Entramos lá e fomos procurar uma das lanchonetes para almoçar alguma coisa, mas tivemos a surpresa de que a que vendia as refeições que queríamos tinha fechado. Só tinha uma lanchonete sem muita opção por lá.
     O Jardim Botânico é muito bonito, são várias arvores centenárias, jardins bonitos e interessantes, algumas partes bem cuidadas, outras nem tanto. É um belo lugar para passar um tempo quando se quer tem uma paz, pois estava muito calmo por lá.
     
     Voltando do Jardim Botânico, fomos para o hotel, nos trocamos e fomos aproveitar a praia novamente no final da tarde. Ainda tinha um pouco de sol, mas mesmo depois que ele saiu, Gabriel ainda estava mergulhado no mar e não queria sair não ! Já estava ficando um pouco frio quando finalmente consegui fazer com que ele saísse e voltássemos para o hotel.

12 de outubro de 2014

Dia 2 - Praia e Forte de Copacabana

Corrida

     Como eu havia planejando, acordei bem cedo para fazer minha corrida à beira-mar, em Copacabana. A Cris e Gabriel dormem muito e eu costumo acordar bem cedo.
     O dia amanheceu com uma neblina bem espessa, e foi ótima a corrida. Inicialmente tinha me
preocupado por não ter levado minha garrafa de água, mas percebi depois que nem era preciso. Acostumado com a secura e a altitude de Brasília, correr na umidade da praia e no nível do mar fica muito mais fácil. Foi muito tranquilo correr ida e volta pelo calçadão de Copacabana todo dia !

     Chegando no quarto, Cris e Gabriel ainda dormindo ! Dormiram até umas 10:00 da matina...praticamente uma manhã toda perdida, pois quando acordaram, ainda fomos tomar café da manhã, nos arrumar e só depois partimos para a praia de Copacabana. Como o tempo não estava ensolarado, foi até bom, pois estava quente sem o sol ficava mais agradável. Ficamos um bom tempo por lá. 

  Ipanema

   Decidimos então passear pelo calçadão em direção à praia de Ipanema para conhecê-la. No meio do
caminho encontramos um evento inusitado: NBA FanZone. Era uma evento de basquete da NBA montado na praia. A entrada era de graça, e lá dentro estava acontecendo alguns jogos de basquete, algumas exposições e até brincadeiras às quais eu e Gabriel participamos. Até fotos impressas e postadas na hora no facebook fizemos ! Muito legal o evento.

     Continuamos até Ipanema onde aproveitamos um pouquinho a praia de lá. Saímos então pela Prudente de Morais em direção de volta a Copacabana e paramos no restaurante Delírio Tropical, por indicação de uma amiga da Cris. É um restaurante Selfservice, com comidas mais saudáveis. O ambiente é bem leve, próprio para quem está na praia como nós (estava de chinelo e camiseta). Muitas das mesas são compartilhadas, pois senão não caberia todo mundo, ainda pegamos uma boa fila para entrar, mas valeu a pena, pois a comida estava realmente bem gostosa !

     Continuamos pela Prudente de Morais até Copacabana, descemos para a rua Visconde de Pirajá e
ao passar pela Praça General Osório, encontramos uma feirinha de artesanato. Lá aproveitei para comprar um típico chapéu de palha "carioca" que ajudou a proteger minha "carequice" durante os passeios. E como a Cris não sabe ficar sem um doce, paramos ali na esquina no Terzetto Café, onde comemos umas tortas deliciosas ! Dali, voltamos para o Hotel, tomar banho e nos arrumar para o passeio noturno.

     Só um comentário sobre passear no Rio: não só no Rio, mas em qualquer cidade que vamos, procuro pesquisar sobre violência, golpes e outros problemas com criminalidade que possamos passar. Não passeávamos com objetos nos bolsos, tudo que tinha estava no porta-dólar que tenho. Falei para Gabriel deixar celular no hotel, somente eu andava com o meu para consultar GPS quando precisava. Passeando pelas ruas eu sempre ficava atento às pessoas ao nosso redor. Cris e Gabriel são mais aéreos, mas pude perceber em alguns momentos pessoas que analisavam a Cris da cabeça aos pés (procurando alguma coisa para roubar), mas desistia de qualquer coisa quando percebia que eu já tinha "sacado". Portanto, cuidem de seus pertences e não deixe nada à vista para não ser vítima de um assalto !


Forte de Copacabana

     No final da tarde, saímos caminhando pelo calçadão de Copacabana até o início da praia. O dia ainda estava um pouco nublado, mas ainda muito bonito, bom para mais fotos.
Fomos visitar o Forte de Copacabana. O Forte é um Museu
Histórico Militar, com exposições de armas, roupas, cenários e muitos outros objetos que fizeram parte da história do Brasil, principalmente na questão militar. Você pode entrar no forte e visitar apenas a parte exterior, mas pode escolher parar um valor (o ingresso é barato) para visitar o museu e o interior do Forte.

     Como chegamos já no final da tarde, o museu estava quase fechando, mas ainda deu para nós visitá-lo bem tranquilamente, são uns 2 andares e muitas salas de exposição. Saindo do museu, fomos fazer um lanche na famosa Confeitaria Colombo, que possui uma filial dentro do Forte. É uma loja pequena, com venda restrita dos produtos, mas com a mesma qualidade e capricho. O lugar é mito cheio, e ficamos em uma lista de espera, mas não precisamos ficar esperando no local, a pessoa nos liga no celular ou envia um SMS quando nossa mesa estiver disponível. Ficamos ali perto visitando o Forte enquanto esperávamos, pois tem uma lojinha e também uma vista linda de toda Copacabana, uma ótima oportunidade para tirar mais fotos.
     Finalmente com nossa mesa, fizemos o pedido e lanchamos maravilhosamente bem. O clima estava super agradável, a vista linda da praia toda iluminada e a comida deliciosa e caprichada. Meu sanduíche dava para 2 pessoas tranquilamente, assim como o salgado do Gabriel.

     Terminado o lanche andamos mais um pouco pelo forte, e uma coisa realmente me impressionou. Lá em cima, encontramos os canhões utilizados antigamente. São gigantescos ! Nós chegamos na parte da cúpula deles, e eram uns 3 de impressionar (veja a foto ao lado) !

     Depois desse passeio agradável, voltamos ao hotel pela praia para descansar !

11 de outubro de 2014

Dia 1 - Chegada e Teatro


Partida

     A viagem foi muito tranquila. Saímos logo depois do almoço, às 13:37 pela TAM e chegamos no Rio às 15:17. O dia estava lindo, muito calor e céu limpo. Pegamos um táxi com um motorista bem legal, conversou conosco e brincou com o Gabriel durante todo o trajeto. Muito atencioso. 
     Chegamos no Rio Othon Palace, em Copacabana, onde fomos atendidos com uma certa demora, pois o hotel estava muito movimentado, mas tudo correu bem, pois abriram outra mesa de atendimento para atender às pessoas que estavam chegando. 


Passeio Para Almoçar

      Com nossas malas no quarto, saímos para dar uma volta e procurar um lugar para almoçar, pois estávamos com muita fome, não tínhamos comido direito no almoço e nem no avião. Passeamos pela praia, estava muito agradável e quente, mas suportável. Muitas pessoas ainda aproveitando a tarde jogando vôlei e tomando sol. Algo interessante me tomou a atenção: várias esculturas de areia montadas ao longo do calçadão, muito bonitas e bem feitas. Tirei foto de uma, mas só depois percebi que para tirar fotos tinha que pagar. 


     Continuando nosso pequeno passeio, achamos um café muito conhecido pela Cris, o Cafeína, bem perto do hotel. Paramos logo para lanchar, um lanche caprichado devido à fome estar muita.  O café é muito gostoso mesmo e vende desde lanches até pratos elaborados. Tudo muito gostoso e caprichado, e oferece mesas tanto dentro quanto fora, na calçada.
 Enquanto esperávamos pelo prato, ouvimos uma certa movimentação na rua perpendicular logo acima a que estávamos. Logo percebi o que estava havendo: um arrastão ! 😁😁😁😱😱 Uma turma de adolescentes mal vestidos correndo pela rua, fugindo. Um minuto depois passa o carro da polícia procurando informações. Gabriel ficou impressionado com a cena !! "Welcome to Rio !"

     Saindo do Cafeína, voltamos para o hotel, onde subimos até o terraço para observar a vista de Copacabana no final da tarde, a vista estava linda. 

Teatro


     Ainda tínhamos a noite toda livre, e para não perder tempo em nossa viagem, procuramos alguma peça de teatro que estivesse passando e encontramos uma que interessou o Gabriel: Samba Futebol Clube, que estava passando no Teatro Leblon. 
     Chegando lá, compramos facilmente os ingressos. A peça foi muito boa e engraçada, Gabriel adorou muito ! De quebra ganhamos um mini caldo de feijão em uma lanchonete do lado do Teatro ! O caldo estava muito bom também. Voltamos de táxi para o hotel.

Terminado o primeiro dia no Rio !
   





10 de outubro de 2014

Programação para o Rio

Diário da Viagem

     Aproveitamos a conhecida "Semana do Saco Cheio" (em outubro) da escola do nosso filho para fazer um passeio na "Cidade Maravilhosa", pois ele não conhecia ainda.
      Esta foi uma viagem simples, e apesar de eu ter feito uma programação, deixei o tempo livre para a Cris decidir onde iríamos, afinal, a cidade é dela! Não compramos ingressos separado nem nada. Deixamos para comprar tudo lá no Rio mesmo. A única programação foi uma listagem dos lugares turísticos que iríamos. Portanto, peço desculpas por não disponibilizar um Plano de Viagem, pois este não existe.


Dia
Passeios
11/10
Chegada no Rio
Check-in no Hotel
Passeio perto do Hotel
Cafeína
Teatro: Samba Futebol Clube
12/10
Corrida
Praia
Passeio em Ipanema
NBA FanZone
Delírio Tropical
Terzetto Café
Forte Copacabana
Confeitaria Colombo - Forte
13/10
Corrida
Pão de Açúcar
Jardim Botânico
Praia
14/10
Corrida
Corcovado
Sede do Fluminense
Confeitaria Colombo
15/10
Corrida
Piscina do Hotel
Barra Shopping
Volta pra casa

1 de julho de 2014

10º Dia: Museu de Ciências, Kensington


     Tomamos nosso café da manhã no hotel, como sempre, e partimos a pé para o Museu de Ciências, que fica do lado do Museu de História Natural, bem perto do Hotel.

     No caminho, uma grande surpresa para o Gabriel, por acaso passamos do lado do Baden Powell House, um hostel localizado do lado do Museu de História Natural, onde se hospedam diversos grupos escoteiros e possui também eventos sobre escotismo. Gabriel, escoteiro, ficou "doido", entramos para ele conhecer o lugar, e saímos de lá com algumas lembrancinhas para ele usar no escotismo em Brasília.

     De lá, entramos no Museu de Ciências, e foi uma surpresa fantástica. Museu imenso, com mais ou menos 4 andares, muitas áreas, com equipamentos antigos e atuais, uma área somente sobre aviação, automobilismo, navegação, matemática, com equipamentos que só conhecia de fotos, áreas de saúde, etc...

     Muito interessante também eram as áreas interativas, com vídeos, jogos, máquinas onde você interagia para aprender sobre algum assunto específico, tudo voltado para crianças e adultos. É claro que as crianças aproveitavam mais ! Nelas, grupos escolares passeavam e experimentavam as novidades e os brinquedos. Gabriel também aproveitou muito ! Brincou com diversos equipamentos e viu muita coisa que não conhecia.

     Passeamos o museu quase todo e aproveitamos para almoçar por lá mesmo. Saímos já no final da tarde e nos dirigimos ao Kensington Palace para um passeio pelo palácio e também para tomar um chá da tarde típico inglês.

     Chegando lá, entramos pelo jardim, um imenso gramado com um lago no meio. O que eu achei mais interessante nesses palácios da Inglaterra é que normalmente os jardins são abertos ao público, não é algo fechado, privado. É como um parque que as pessoas aproveitam para se divertir, passar a tarde, fazer um piquenique. Lá, várias pessoas estavam na grama, cachorros passeando e no lago vários patos nadando. O tempo estava gostoso, nem quente nem muito frio, muito agradável. Passeamos um pouco pela grama e pelo lago, e até conversamos com uma senhora que estava passeando com um Beagle.

     Entramos então no palácio. O Palácio de Kensington é a residência oficial do Duque e da Duquesa de Cambridge do seu primeiro filho, George Alexander Louis. Parte do palácio é público, com uma exposição fotográfica e também dos vestidos da famosa Princesa de Gales Diana. Passeamos também por alguns cômodos centenários, onde já moraram várias princesas e condessas, podendo ver os quartos decorados, corredores e até um teatro bem interessante imitando uma situação do século XIX em um dos cômodos. Foi muito legal mesmo, realmente não esperava isso !

     De lá, fomos na The Orangery, uma casa de chás localizada ao lado do Palácio, ainda nos jardins. Lá tudo era muito fino e requintado. Fomos recebidos e encaminhados à nossa mesa e servidos do tradicional e famoso chá inglês, com louças finas. Um lanche muito gostoso e caprichado, exatamente do jeito que a Cris gosta.

     Terminado o passeio, voltamos para o hotel. Mais tarde, no final da noite, lanchamos em uma lanchonete onde estava passando jogos, perto do hotel, chamada de The Patisserie, com lanches bem caprichados e gostosos !


E esse foi o fim da viagem ! No dia seguinte, voltamos para o Brazil, com muitas saudades do velho mundo, e sonhando para o dia voltarmos para conhecer coisas novas !

30 de junho de 2014

9º Dia: Troca da Guarda, Dia do Rock

     Este dia também passeamos muito ! Iríamos para Cambridge, mas Cris desistiu e ficamos passeando pela cidade mesmo.

     Começamos indo para o Palácio de Buckingham, para ver a famosa troca da guarda. Chegando lá, a praça já estava muito cheia, todo mundo já esperava para ver o evento ! Conseguimos um lugar aparentemente bom e ficamos esperando, o sol estava forte. Demorou um pouco, mas finalmente a parada começou a chegar. 

    A troca da é muito interessante. Muito legal ver ao vivo aqueles guardas com os capacetes tradicionais, grande e peludos. Ficamos na praça, mas a guarda passa por ali e entra no palácio. Lá tem uma cerimônia da troca que não deu para vermos, pois já estávamos do outro lado da rua e a cerca já estava lotada. Ficamos esperando, e enquanto isso, um policial explicava para o pessoal o que estava acontecendo e o que iria acontecer, fazendo até algumas "piadas" com relação à guarda... bem inusitado...
      Terminada a troca, a guarda antiga sai e continua a retirada pelo outro portão. Depois de passada a guarda, fomos embora pela rua principal, aproveitando para tirar fotos da praça Victoria Memorial e dos jardins.






     Fomos então para a Trafalgar Square, onde pegamos inicialmente o Original Tour. Lá compramos uns tickets para fazer um Tour do Rock a pé. O tour foi interessante, uma guia nos levou a vários locais onde famosos cantores de Rock frequentavam, contanto a história de cada local. O sotaque dela estava bem carregado, um sotaque inglês bem forte, e como ela falava um pouco rápido foi necessário um pouco mais de atenção para entender tudo (ela já tinha até avisado disso!). Andamos bastante, passando até por Chinatown. 

     Resolvemos então aumentar o repertório do nosso Dia do Rock indo conhecer a famosa faixa de pedestres onde os Beatles tiraram uma foto para o disco deles, o Abbey Road. Pegamos o metrô para ir para lá, e chegamos rápido. Choveu enquanto estávamos no metrô e saímos ainda estava chovendo um pouco. Esperamos a chuva melhorar e fomos atrás da famosa rua. Não demorou para encontrar, e foi muito fácil, pois lá já estavam um monte de pessoas tirando fotos e atravessando a rua. O lugar é uma rua comum, com uma faixa de pedestre comum, então não dá para tirar muitas fotos tranquilamente, é preciso paciência para que a rua esteja vazia para poder tirar uma boa fotos. Pedimos para um rapaz tirar fotos para nós.

    Conitnuou a chover bastante, e resolvemos ir embora, a chuva apertou no caminho do metrô, mas a Cris queria voltar de ônibus (os famosos ônibus de 2 andares de Londres), cuja parada era do lado do metrô, e foi outra experiência muito interessante. Chegamos no ponto de ônibus e lá na parada existia um painel eletrônico onde passavam informações sobre todas as linhas que paravam ali, mostrando inclusive quanto tempo cada linha demoraria para chegar naquele ponto. Esperamos e no horário indicado nosso ônibus da linha 82 Victoria estava chegando. Os ônibus de lá também são um show à parte. Inicialmente, a suspensão dele abaixa quando ele para no ponto para se igualar à da calçada e facilitar a entrada. O cartão Oyster é integrado, então funciona tanto no metrô quanto no ônibus também. A limpeza é algo fora de série também, tudo muito limpo lá dentro, igual ao metrô, inclusive, outro painel indicando a linha, para onde vai e qual a próxima parada dele, junto com um aviso falado de todas essas informações. Show ! Quem dera pudéssemos ter algo assim aqui no Brasil... nunca pensei que fosse tão bom andar de ônibus !

     A próxima parada no nosso Dia do Rock não poderia ser outra do que o Hard Rock Café ! Como poderíamos deixar passar ? Chegamos lá e demos nossos nomes para a lista de espera, e enquanto esperávamos fomos visitar a loja que ficava na esquina e também o The Vault, que é praticamente um cofre-museu com itens históricos e raros de peças, vestimentas e tudo mais que se possa imaginar que já pertenceu a um astro do Rock. A coleção é impressionante e só se pode descer lá junto com um funcionário da loja. Em algumas épocas do ano o The Vault só abre em certos dias específicos.
     Os comentários sobre o jantar no Hard Rock Café não poderiam ser outros: comida deliciosa, atendimento excepcional, ambiente fantástico. Dessa vez, não caímos na pegadinha da sobremesa, e pedimos uma daquela taça gigante para dividir. Assim todos ficaram satisfeitos e ninguém passou mal ! 
      Voltamos para o hotel de ônibus também, linha 74 Putney