12 de julho de 2013

4º Dia - Winter Park e Piedras Blancas

      Esse dia foi muito esperado por todos, simplesmente por uma coisa: Neve. Acordamos cedo, todos quebrados, pois aqui estamos dormindo pouco e acordando cedo. Sem contar que a Cris coloca a calefação do quarto lá nas alturas, para secar roupas, já até estamos carinhosamente chamando o quarto de Caldeirão da Cris.
      Amanheceu chovendo, uma chuva fina que durou a noite inteira. Confesso que fiquei com medo de não encontrar neve lá no cerro, pois só nas pontas se vê o branquinho dela. Colocamos nossas roupas de neve (3 camadas: 2ª pele, moleton e roupa impermeável) e partimos para o cerro. Quanto mais subíamos, a neve ia aparecendo ao lado da pista, e ao chegarmos na base do parque, este já estava totalmente branquinho. Uma beleza indescritível.
      A programação do dia era fazer aulas de Ski no Winter Park (anexo do Piedras Blancas), as aulas iam de 10:00 às 12:00, ficando as 3 pistas livres para esquiar até às 14:00.
   Chegando lá, fui dar entrada, tinha reservado nossas aulas (minha, da Cris e do Gabriel) antecipadamente pela internet e, para minha surpresa, reservaram apenas 1 adulto e 1 criança !!! Aceitaram tranquilamente, mas o grande problema era que neste cerro não aceitam cartão de crédito, então acabei gastando muito mais do que tinha reservado para passar o dia, e fiquei preocupado de como faríamos mais tarde.
       Entrando no complexo, Gabriel foi para a turma dos "chiccos", a Cris para a turma dela sumiu enquanto eu me arrumava com a máquina e meus equipamentos. Entrei então na última turma que se formou, logo que saí da sala dos equipamentos. A aula foi muito boa, recomendo a qualquer um que nunca esquiou que faça uma aulinha dessas, senão não vai nem  conseguir colocar os esquis, muito menos ficar de pé. Gabriel avançou rapidamente nas aulas, fazendo tudo certinho e começando a esquiar. Foi para a pista 2 mais cedo que eu e depois já queria ir para a 3 (mais avançada).
          Finalizada a aula, ficamos até as 14:00 desfrutando das pistas e treinando bastante, levando vários tombos, mas felizmente tombo na neve não machuca. Gabriel até brincou de guerrinha de bolas de neve...
         A programação seguinte era irmos a Piedras Blancas, um complexo ao lado onde existem 5 pistas de skibunda. Felizmente, tinha alguns reais sobrando na carteira, então deu para pagar o ingresso ($570,00 os três, veja em dicas sobre utilização de reais em Bariloche) e ainda sobrou para um lanche. Fomos para a confitaria do complexo, pedimos 3 tostados (tipo um misto quente mas com o pão mais fino e sem casca) e 3 chocolates quentes (estava muito frio!). Quase levei um susto quando o tostado chegou. Cada porção vinham o equivamente a 2 misto quentes !! Tinha pedido 3, então vieram 6 tostados ! Não aguentamos comer tudo...
        Deli, a Cris fiou na "confitaria" e eu e Gabriel fomos descer de skibunda. A brincadeira é muito boa, o skibunda deslisa muito, a maioria das pistas tem elevações ou quebra-molas que dá uma boa sacudida, ou batida. Existe um teleférico que nos leva até o topo e você escolhe uma pista para descer, simples assim. Cada passe com o skibunda te dá direito a descer 6 vezes.
        No topo, existe uma área para tirar fotos com um São Bernardo, um iglu e um bonecão de neve. Infelizmente, quando subimos pela última vez, o fotógrafo estava descendo, e só pudemos tirar fotos no iglu. Neste dia também estava fazendo muita neblina, estava muito difícil de ver tudo.
      O tempo que nos restava foi o suficiente para descermos em todas as pistas, ainda sobrou um pouquinho de tempo. No entanto, Gabriel sumiu na última pista e ficamos esperando ele descer novamente, o que demorou. Quando fomos embora, nos lembramos das fotos tiradas pelos fotógrafos oficiais, pois nós mesmo tínhamos tirado poucas, voltamos para escolher algumas, e quando acabamos, descobrimos que éramos os últimos a sair do parque... normal...

        

Restaurante Cassis

      À noite, o restaurante reservado era o Cassis. Este é um restaurante meio reservado, um pouco longe da cidade, fica junto ao Lago Gutierrez. O google maps me salvou novamente, mas mesmo assim  ficamos meio perdidos, pois o lugar era tão afastado que antes dele tinha uma estrada tão escura que ninguém diz ter algum restaurante depois. Voltamos, pedimos ajuda a um supermercado, e achamos o Cassis.
     Chegando lá, o ambiente é de se impresionar. tudo muito bonito, muito refinado, mesa toda preparada, lareira acesa, um ambiente muito acolhedor. Nos sentamos e o dono do restaurante nos recebeu e ofecereu um serviço de 7 passos, passando pelas comidas tradicionais da argentina. Aceitamos, pedimos para o Gabriel um penne ao molho branco para nos acompanhar.
        Os pratos que vieram eram bonitos, mas pequenos, como toda degustação;
  1. Entrada: aluns pães e biscoitos, acompanhados com algumas pastas.
  2. Uma sopa que parecia ser de champinhon
  3. Um spaguetti com langostina por cima
  4. Truta 
  5. Um gelado (para mudar o gosto), com gosto forte, esqueci o nome
  6. Cordeiro ao azeite
  7. Como sobremesa, uma bolinha branca (que não sei o que é) com "frutas rojas" e calda


    Tudo estava muito gostoso, até a hora da conta chegar. Quase caímos pra trás por causa do preço exorbitante e absurdo. Estou apelidando esse restaurante desde hoje de Restaurante Ca$$i$. Só vá se quiser realmente gastar um bom dinheiro !!!