16 de agosto de 2011

Primeiro dia: Chegada

      Saímos pela TAM direto de Brasília, com conexão em São Paulo. Lá, Gabriel aproveitou para trocar o dinheirinho que tinha guardado no cofre por dólares. E como ele ficou feliz com as verdinhas que nunca tinha visto antes.
          A viagem foi ótima, muito tranquila e sem nenhum problema. Devido a um "probleminha pessoal" no final da viagem, acabamos desembarcando praticamente por último. Por isso, pegamos uma fila considerável na imigração. No entanto, conforme esperávamos, notamos que a mesma andava rápido, e não precisamos esperar demais. Eram muitos atendentes e eram bem rápidos. Na nossa vez, fomos muito bem tratados pela atendente, que nos fez perguntas básicas, como qual o motivo da viagem, onde iríamos ficar, quantos dias, etc... 
      Passada a imigração, pegamos nossas malas na esteira e nos dirigimos à saída. Estranhamente, só havia uma pequena porta de vidro com uma escada rolante. Subimos por ela onde fomos parar em uma mini estação de metrô (achei muito estranho), que já estava esperando por nós. Só depois fui entender. Saindo do mini-metrô, chegamos no saguão principal do aeroporto (estávamos em um terminal remoto) e quase caí pra trás: era imenso ! A placa sinalizadora dos vôos indicava portões até 99 ! Nunca tinha visto tamanho aeroporto, o saguão principal dele tinha um hotel de vários andares... simplesmente fenomenal...
      Nossa viagem não era voltada a compras, apenas passeios e diversão. Reservei apenas 1 dia para fazermos nossas compras iniciais, pois precisava comprar uma máquina fotográfica boa para registrar esses maravilhosos momentos, entre outras coisas menores. Depois de alguma pesquisa, verifiquei que o hotel que ficaríamos (Sheraton Vistana Resort) possuía transporte para os parques, então resolvi alugar um carro apenas para o dia das compras.
      No brasil, encontrei um site chamado OrlandoTicketsOnline, que me oferecia um aluguel de carro barato e ainda emprestava um GPS, então aluguei com eles um carro do tipo econômico. Nos dirigimos ao balcão da Álamo, a empresa americana que nos forneceria o carro. Chegando lá fui tudo muito

rápido, acho que em 10 ou 15 minutos toda a papelada (pouquíssima) já estava pronto, o atendente me orientou a atravessar a rua, escolher meu carro e sair ! Achei que não tinha entendido direito, mas era isso mesmo, nunca tinha sido tão simples alugar um carro na minha vida ! O detalhe é que o GPS não estava incluso, eu teria que pegar o aparelho na agência que me alugou. O problema era que ela já estava fechada, era no centro da cidade e eu teria que pegar no dia seguinte. Como sou cabeça dura (ainda irei me livrar disso...), escolhemos o carro (um equivalente ao Prisma brasileiro, mas todo automático, com ABS e Airbag) e fomos para o hotel, nos guiando apenas pelo mapa. Nos perdemos um pouco, ainda parei em uma SteakHouse para me orientar, mas não foi tão difícil achar o hotel (depois que eu assumi a leitura dos mapas ! rs).
      Chegamos já tarde no hotel, fomos muito bem recebidos também. Este hotel nós recomendamos a todos, é ótimo, e o "quarto" dele (um chalé de 2 andares, cada andar com 2 apartamentos) era maior que nosso apartamento do Brasil ! Acomodamos nossas malas nos quartos e saímos para comer algo, pois estávamos com muita fome, já era tarde e fazia tempo que não comíamos nada. 
      Paramos então no Wendy's, uma lanchonete no estilo Mc Donald's que ficava do lado do hotel. E
fizemos nosso primeiro lanche na terra do Tio Sam, e bem no estilo: Fast Food !