14 de abril de 2015

Dia 10 - 9/11 Memorial, Lombardi's, SoHo, Italy, Chinatown, Opera


      Acordamos e tomamos café da manhã no hotel. Saudades do Gabriel, da família e de todos os amigos que ficaram no Brasil. Pegamos então o metrô para downtown e paramos no memorial do 9/11. No local onde existiam as torres gêmeas foi construído um poço onde a água escorria continuamente para dentro dele. Em volta de todo ele estão escritos os nomes de todas as pessoas mortas no atentado, inclusive as que estavam nos aviões e no Pentágono.
      Andamos por lá e entramos na fila para entrar no museu, mas desistimos, pois nosso CityPass já tinha sido utilizado para o Intrepid e a entrada custava mais ou menos U$ 40,00. Saímos e fomos passear pelo bairro, conhecer as atrações das redondezas.
      Paramos então na Trinity Church, uma igreja anglicana datada dos anos 1700, muito linda e enorme, ao lado dela existe um cemitério enorme onde muitas pessoas famosas estão enterradas. Continuamos nosso passeio pelas ruas, passando pelo fórum e outros prédios conhecidos. Íamos até o famoso touro de bronze, mas como estava chegando perto de meio-dia e no dia seguinte estava programado um tour que iria começar justamente no touro, resolvemos pegar um metrô para irmos ao local de nosso almoço programado: Lombardi's Pizza.



     Não foi difícil achar a pizzaria, a Lombardi's Pizzaria é considerada a primeira pizzaria das Américas, inaugurada em 1905, sua pizza é conhecida por ter a massa crocante nas bordas e macia em seu interior, por ser feita em forno de carvão de alta temperatura que faz com que a pizza fique por apenas poucos minutos nele. O restaurante é meio apertado, muitas mesas, nos deram uma mesa pequena, que dava apenas nós dois e nada mais, fiquei imaginando como colcaríamos a pizza que pedimos. Ela chegou em um suporte que a deixava "levandada" na mesa, não atrapalhando muito. A pizza, embora estivesse bem simples, estava deliciosa, com muito molho de tomate, e a massa fina, mas confesso que poderia ser mais saborosa, estava muito simples, e o cardápio também é muito restrito, não tem muita variedade, que são basicamente 2 ou 3 tipos de pizza e você pode adicionar uns "toppings".

      Além disso, como não tinha sobremesa, fomos procurar uma em outra loja na rua, enquanto caminhávamos para nosso TourByFoot.





      Saímos em direção à praça de encontro do tour, procurando uma sobremesa e paramos em uma chocolateria, mas não estávamos muito para os chocolates dela, e continuamos em frente. Logo depois encontramos uma bakery que estava bem movimentada, seu nome era Dominique Ansei Bakery, e apesar do movimento, gostamos do que vimos na vitrine, cada delícia... enfrentei a fila, conseguimos um lugar para se sentar e desfrutamos dessas duas deliciosas sobremesas ao lado. Mais tarde, no tour, ficamos sabendo que essa bakery é muito famosa, que faz um doce chamado de Cronut, que é um donut especial e que ela fabrica uma quantidade limitada por dia, e cada pessoa pode comprar no máximo 2 cronuts, para que todos possam experimentar, mas mesmo assim é insuficiente, pois acaba muito rápido e muitos não conseguem comprar. Da próxima vez, já sei onde ir, que horas e o que pedir !

      Nos encontramos com a turma do Freetourbyfoot em uma praça próxima, dessa vez com muito mais pessoas. Nosso tour passou por três bairros de Manhattan: SoHo, Little Italy e Chinatown. Os passeios desses tour são muito legais, aprendemos muita coisa, vemos muitos lugares e coisas que não vemos normalmente sem ninguém nos explicando. Neste tour, fiquei impressionado com as diferenças entre as culturas, tão perto uma das outras. Quando entramos em Little Italy, um bairo de imigrantes Italianos, vemos as ruas e as lojas todas no estilo italiano, com tratorias, lojas de queijo, restaurantes, etc. Mas ao virar uma esquina, entramos em Chinatown, e o cenário muda drasticamente, as ruas lotadas, lojas com escrita chinesa, peixes e vários produtos secos, tipicos da culinária chinesa, à venda nas calçadas, muito difícil até de andar por lá. Foi inacreditável.





      O passeio transcorreu tranquilamente, a nosso tour terminou no meio da tarde em uma estação do metrô. Fomos então para o hotel nos aprontar para a programação da noite: Orquestra Filarmônica da Philadelphia.

     A Opera que iríamos assistir chama-se Les Contes d'Hoffmann, e ia se apresentar no The Metropolitan Opera, a casa de opera mais famosa de Nova Iorque. Para ir para lá, pegamos nosso primeiro Ônibus da viagem. Os ônibus de Nova York são todos ecológicos (elétricos, híbridos), muito limpos, pontuais e integrados ao nosso Metrocard ilimitado. Os motoristas não aceitam dinheiro, somente entra com o Metrocard, ou se tiver moedas trocado. O ônibus desceu bem em frente ao Lincoln Center. O Metropolitan Opera é um lugar fabuloso, seu interior é lindo, com um lustre gigantesco, carpete vermelho e muito espaço. Nossas cadeiras eram no Tier 1, mais ou menos no 4º andar do teatro, acima ainda tinham 2 andares (o Tier 2 e o Balcony).
     Foi maravilhoso assistir a opera. Graças a um tradutor simultâneo (em texto) na frente de cada cadeira, foi possível entender a história, que estava sendo cantada em francês.