24 de abril de 2015

Dia 15 - Volta para casa


     A viagem acabou... mas ainda tínhamos parte de um dia para aproveitar. O dia amanheceu mais quente, 9º C, estava chovendo um pouco. Passamos a manhã terminando de arrumar as malas. conseguimos no hotel fazer o Check-Out mais tarde (deveríamos sair do hotel às 12:00), então fomos almoçar em um Pub Irlandês perto do hotel chamado The Irish Pub.

     O lugar era muito legal, muitas televisões espalhadas pelo restaurante, todas passando um esporte diferente, ambiente aconchegante e uma comida deliciosa e caprichada. Pedi uma Shepperd's Pie e a Cris um Fish & Chips.




      Voltamos para o hotel, fechamos a mala, e fizemos o Check-Out. como o vôo era apenas às 19:00, o hotel ainda ofereceu deixarmos as malas guardadas enquanto passeávamos até a hora de ir para o aeroporto, mas decidimos sair logo para lá. Neste momento, estava com um dilema: ir para lá de metrô era mais barato (muito mais), mas fiquei imaginando como eu iria descer as miúdas escadas das estações com essas malas, a Cris, grávida, não poderia me ajudar. Depois entrar no vagão com todas elas... achei melhor então chamar um transporte diretamente pelo hotel., pois o Táxi iria sair quase o mesmo preço.

      Me surpreendi quando o transporte chegou, um super carro, gigante, com espaço para umas 10 pessoas... muito confortável. Este tipo de transporte é comum em Nova Iorque, vi muitos andando por lá e eram os mesmos que estavam levando os artistas do filme insurgente naquela noite. Fomos até o aeroporto La Guardia com muito conforto, mas demorou um pouquinho, pois o trânsito de Nova Iorque não é nada fácil. Chegamos lá, fizemos o check-in na American Airlines (as malas deram excesso de peso, mas o rapaz ignorou) e como estava cedo, ficamos lendo nossos livros no aeroporto, fizemos um lanche no final da tarde e quando deu a hora, finalmente embarcamos no avião, que estava cheio, mas iríamos fazer conexão em Miami primeiro. O vôo foi tranquilo, mas não foi servido nada, só bebidas, o resto era comprado, e tinha apenas aqueles saquinhos de salgadinhos. Ficamos com muita fome, e quando chegamos em Miami, saímos de um portão para entrar em outro logo em seguida ! Não deu nem para procurar nenhum lugar para fazer um lanche...

     Mas o pior não tinha chegado, quando entrei no avião, levei um susto ! Era velho, as poltronas visivelmente desgastadas, e os únicos monitores disponíveis eram alguns no teto do corredor central, ou seja, nada de entretenimento pessoal... durante as mais de 10 horas de viagem... sem contar com a barulheira dos equipamentos dele, na decolagem e aterissagem. Muito triste, depois do avião da ida, novinho e caprichado. Pelo menos o avião estava vazio, a Cris acabou dormindo em uma fila somente para ela enquanto eu achei outra cadeira livre para deixá-la descansar.
 
      Viagem terminada, família reunida. Agradeço a todos que nos acompanharam e torceram por nossa felicidade. Amo todos vocês !