18 de março de 2015

Dia 7 - Levain, Museu História Natural, Orquestra Carnagie

      A programação desse dia também estava bem simples. passaríamos o dia todo no Museu de História Natural e à noite assistir uma Orquestra. 

      Como sempre, amanheceu muito frio, a temperatura real era de -1ºC. Acordamos no horário normal e pegamos um metrô em direção ao museu. Mas antes tinha que passar em uma "bakery" que achei pela internet e que é famosa por fazer o melhor cookie de NY: a Levain Bakery. Como ela era perto o do museu, fomos lá primeiro.
     A Levain é pequenina, fácil de passar direto (na verdade eu passei, a Cris é que achou), fica no subsolo de uma casa, e o esquema lá é comprar e sair comendo, mas tem pequenos balcões para quem quer ficar, só que são bem pequenos mesmo, devem caber no máximo 4 pessoas no total. O cookie que pedi foi o "Dark chocolate with peanuts" (Chocolate meio amargo com amendoim) e devo dizer: maravilhoso, e realmente, ele é imenso, quase não dá para comer todo, pelo site, são 600 calorias no total !


       Saindo do Levain, fomos para o museu. O Museu de História Natural é fantástico ! Imenso ! Muito bonito. Entramos lá e nos orientaram a deixar o casaco e mochila no "coat check", que é um serviço para guardar esse material, free, pois não pode entrar com mochila nas exposições, e como o ambiente lá dentro é climatizado, não é necessário o casaco. Fomos visitando as áreas que a Cris mais gostaria de ver, pois para visitar o Museu todo seria necessários uns três dias. Algumas partes, exposições especiais do museu é paga, e como nosso CityPass nos dava direito a entrar em uma delas, então escolhemos um planetário com uma exposição sobre nosso universo. Fomos direto para lá. Visitamos várias áreas depois, não dá para descrever aqui todas, os detalhes, o melhor mesmo é ver ao vivo. 
      Chegando a hora do almoço, e depois de ficar procurando um pouco, fomos em uma lanchonete dentro do Museu. Tomamos mais uma sopa, lá toda lanchonete vende uns tipos de sopa padrão, são delicosas e caem muito bem com o frio que estava fazendo.

     Saímos do museu cansados, e voltamos para a Time Square. Lá, passamos na Godiva Chocolatier, uma loja de chocolates maravilhosa, estávamos tentando arranjar um tempo para comprar alguma coisa lá, e essa era a hora. Fiquei apaixonado por um moranguinho do tamanho da palma da minha mão, inacreditável... comprei a versão coberta com chocolate meio amargo, é claro, uma delícia... ainda ficamos com água na boca com as outras delícias de lá, principalmente um sorvete tipo desses italianos que tem no Brasil, mas com chocolate belga, e com a borda da casquinha cheia de castanhas e chocolate.... mostrarei em algum post mais a frente. 

     Voltamos para o hotel para descansar e nos arrumarmos para assistir a Orquestra Filarmônica da Filadelphia no Carnagie Hall, uma das melhores salas de orquestras de Nova York, que fica pertinho do hotel, bastando ficar a esquina e subir 2 ruas. Chegamos lá, troquei meus tickets que tinha comprado pela internet e subimos pelo elevador até nosso andar que era o 4º. A sala de orquestera é imensa ! São uns 6 andares de cadeiras. Todas com boa visão. Ficamos com uma vista muito boa, e o áudio perfeito. Foi outra maravilhosa experiência ouvir boa música em um excelente lugar.

       Acabada a orquestra, estávamos com fome, não tínhamos jantado, então fomos jantar no Brooklyn Diner, um restaurante típico americano indicado por um amigo nosso, e que era do lado do Carnagie Hall, bastando atravessar a rua. Entrar nesses lugares sempre é muito gostoso, pois lá fora é um frio e dentro o aquecimento não nos deixa querer sair. O ambiente do restaurante é muito legal, fomos muito bem atendidos, o local estava pouco movimentado, possivelmente por causa do dia e da hora (era tarde!). Os pratos eram muito caprichados, pedimos sanduíche e o meu era de uma carne especial deles, com um gosto bem acentuado chamada Pastrami.