20 de junho de 2014

8º Dia: Parque Asterix


Park Asterix

    A programação desse dia não dependia de trens, o passeio iria ser no Park Asterix, um parque temático dessa turma que sempre fez sucesso desde minha época de criança, e queríamos conferir esse super parque. Ainda no Brasil, com alguns meses de antecedência, compramos diversos livros com as histórias desses Gauleses para o Gabriel começar a se ambientar, a entrar no clima e não chegar lá no parque sem saber de nada. Quando você conhece a história e os personagens tudo fica mais divertido.
    O parque disponibiliza transporte de ônibus para lá, saindo e chegando no Louvre. Claro que fomos a pé, pois o Louvre era pertinho do hotel, e não foi difícil de chegar, embora eles saíssem no subsolo, em uma enorme garagem que não sabíamos que existia. Saímos no horário, a viagem demorou pouco mais de 1 hora (são apenas 50Km de distância) e desembarcamos bem na entrada do Parque. Na pressa e na excitação de conhecer o lugar, acabei me esquecendo nosso roteiro no banco da frente do ônibus, e não conseguiria recuperá-lo novamente.
     O dia estava muito gostoso, não fazia muito calor e também não estava muito frio. Entramos no parque e nos sentimos como entramos pela primeira vez na Disney. Logo na entrada já estavam os personagens Asterix e Obelix tirando fotos (claro que Gabriel não perdeu a oportunidade!). A vila também muito bonita e bem cuidada nos dava boas vindas ao parque. No fundo, uma montanha imensa com o Asterix também chamava a atenção.
     O parque também oferece um aplicativo no celular para acompanhar os eventos e as filas nos brinquedos. Aproveitamos o início para andar nas montanhas russas que o parque tem (umas 3 ou 4), e no passeio entre elas, fomos conhecendo vários aspectos engraçados do parque, como a cueca de Zeus nessa estátua gigante, bem na entrada de uma das montanhas russas. 
     O parque é muito parecido mesmo com a Disney, tanto em estrutura quanto em eventos. Possui vilas com lojas, lanchonetes, e cenários para você entrar, visitar e tirar fotos. Também em vários momentos, vários personagens aparecem em pontos estratégicos pelo parque para tirar fotos e até fazer "gracinhas". Tinha até um trono que quando você sentava fazia barulhos engraçados e sinistros. Gabriel adorou cada personagem que aparecia e que ele conhecia pelos livros, e tiramos fotos com um monte deles.
     O parque também oferece várias opções de lugares para lanchar ou almoçar. Resolvemos comer fast food em uma lanchonete perto da entrada do parque, e estava tudo muito bom e caprichado.

      Todos os brinquedos do parque são também pensados para todas as idades, existem aqueles para os mais radicais e aqueles para as crianças. Até no Chapéu Mexicano eu fui (acreditem, nunca tinha ido em um!). Além dos brinquedos e dos personagens eles fazem também alguns shows. Não fomos em todos, pois alguns eram para crianças menores e também não dava para assistir a todos e ainda conhecer o resto do parque por causa do horário dos mesmos. Assistimos o show dos golfinhos Révérence logo de manhã, e mais para o final da tarde, assistimos a apresentação mais importante do parque, Gaulois - romains : le Match, que foi muito engraçado e divertido.

   






     Voltamos no final do dia pelo mesmo serviço de transporte, que nos deixou exatamente no mesmo lugar da saída (garagem subsolo do Louvre). Voltamos pelo Le Palais Royal e seu lindo jardim até o hotel. Tomamos banho e saímos para procurar um Pub de esportes porque a Cris e Gabriel queriam assistir o jogo da França na Copa do Mundo. Pegamos o finalzinho do jogo e o Pub estava entupido. Terminado o jogo, com as ruas num caos devido à vitória da França, saímos para fazer um lanche em um Café na mesma rua do Hard Rock. Cris pediu um Crepe de chocolate, que parecia testar muito bom ! E nosso dia terminou por ali mesmo, já estava escuro, o que significava que passava das 23:00 ! Hora de dormir !