21 de junho de 2014

9º Dia: Pokémon Center, Roland Garros, Champs-Elysée, Torre

     Último dia em Paris, a saudade já estava chegando... mas ainda tínhamos algumas coisas muito boas a se fazer ! Alguns dias antes, descobri pela internet que iriam montar em Paris, bem pertinho do nosso hotel, um Pokémon Center. Que sorte do Gabriel, ele amou a idéia e queria ir lá de qualquer jeito. Acordamos, tomamos o café da manhã e partimos para lá.
      Não demoramos muito para chegar, mas para nossa surpresa, muitos já tinham corrido mais do que a gente ! A fila estava enorme ! Fiamos um bom tempo nela, e enquanto isso a Cris aproveitou para visitar as lojas da rua em frente ao Louvre ! Acabou que entrei com o Gabriel sozinho lá, e ele adorou. Era um centro com várias informações sobre Pokémons, com vários artigos à venda, usuários de 3DS podiam baixar um pokémon exclusivo para seu jogo, além de ter alguns personagens para fotos e também uma exibição de quadros com esboços, fotos e artes tudo relacionado aos pokémons e seus criadores. Não é preciso dizer que ficamos um bom tempo por lá !

     Saindo do centro Pokémon, pegamos o metrô e fomos para uma das visitas mais esperadas pela Cris e Gabriel: Roland Garros. Descemos na estação programada, mas ainda estava cedo para o horário que havia marcado pela internet, então fomos procurar um lugar para almoçar. Queríamos um lanche rápido, mas o bairro não era muito provido de lugares com esse tipo de lanche, achamos alguns restaurantes mais caros,  mas não podíamos perder muito tempo também. Entramos então em um mercado (tipo um Carrefour Bairro) e compramos sanduíches e bebidas para nós três. Tivemos ainda que andar algumas centenas de metros até chegarmos ao complexo de Roland Garros, passando por um lindo jardim (Jardin des Serres d'Auteuil) enquanto comíamos nossos sanduíches. Chegando nas portas de Roland Garros, entramos e vimos muitas pessoas treinando nas quadras secundárias, algumas até tendo aulas de tênis. Passeamos pelo complexo até a recepção para me informar sobre o tour que eu tinha comprado e programado pela internet. Tivemos que esperar um pouco até que ele começasse, e enquanto isso fomos na lojinha de Roland Garrros, onde Gabriel olhou vários itens e até ganhou alguns como uma raquete, roupas e bolinhas de tênis. 



     Fomos chamados e começamos nosso tour pelo complexo, muito interessante. Visitamos vários lugares, a quadra principal, as salas de espera e as salas VIPs, todo a estrutura que Roland Garros oferece aos seus visitantes durante os torneios. Pudemos até ver e abrir o armário que Rafael Nadal sempre escolhe para guardar seus pertences, a assinatura de todos os tenistas que passaram por lá em uma parede de vidro, e muitas outras coisas bem interessantes. 

     Finalizado o tour, fomos visitar o museu do tênis, ali mesmo no complexo. O museu é incrível, dezenas de raquetes, roupas e equipamentos utilizados desde a invenção deste esporte. Material audio-visual com história e vida de vários ícones do tênis internacional. 

     De lá, totalmente satisfeitos com o passeio, fomos nos despedir da rua mais famosa e charmosa de Paris, a Champs-Elysée ! Passeamos mais uma vez por lá pela rua inteira e procuramos um lugar para fazer um lanche. Cris escolheu então a loja da Renaut, onde estava acontecendo um evento, com uma banda tocando músicas antigas e animadas de bailes e casais dançando no estilo dos bailes dos anos 60, com roupas a caráter, rodando as parcerias pelo alto. Mas a escolha da Cris pelo local foi basicamente porque lá também serviam os doces da Angelina ! 

       Finalizando o passeio, e dando tchau para a majestosa rua parisiense, pegamos o metrô de volta para o hotel. Chegando lá, eu ainda tinha vontade de fazer uma coisa que não pudemos fazer por toda a viagem: tirar fotos da Torre Eiffel no gramado da Champs de Mars e observar a torre piscar. Para quem ainda não sabe, sempre na hora cheia toda a torre é iluminada e pisca por 1 ou 2 minutos. Não pudemos ir ver mais por causa da programação e também porque escurecia muito tarde nessa época, como já expliquei, o sol se punha 21:50.

       Mas já eram 22:20, queria pegar a "piscada" das 23:00, então tomei um banho bem rápido e saí.  Cris e Gabriel, cansados, ficaram no hotel. Tive a idéia também de passar essa última noite como os parisienses fazem: com um pequeno piquenique no gramado de Champs de Mars. Passei então nos mercadinhos que ficavam do lado do hotel, mas estava lotados. Não entendi muito, mas resolvi ir logo para o metrô para não perder tempo, pois na saída da estação perto do Champs de Mars tinha um Carrefour Express, e poderia comprar um lanche lá. Chegando no metrô, outra surpresa: LOTADO. O trem demorou só um pouquinho, e veio tão cheio que resolvi pegar o próximo (passam a cada 4 minutos no máximo por lá), que também veio muito cheio, mas deu para eu entrar. Não estava entendendo o que estava acontecendo, mas pelo horário, já não dava mais para pegar a "piscada" das 23:00, então fiquei tranquilo.

     Saindo na estação, entrei no Carrefour express e comprei um sanduíche e um pote de iogurte ão queria comprar uma garrafa de Champagne para beber sozinho, então foi iogurte mesmo ! Fui em direção à Torre, e aí eu descobri o porque dos mercadinhos e do metrô estarem tão cheios: estava acontecendo, bem ali no final do Champs de Mars a Fête de la Musique, ou seja, um festival musical, com vários artistas tocando (na hora tinha alguém cantando músicas brasileiras!).
O local estava entupido, e o Champs de Mars estava bem cheio, com grupos e mais grupos de pessoas, com seus piqueniques, champagne e tudo mais.
     Achei um lugar com uma bela vista da torre, armou meu tripé e fiquei testando as configurações da máquina fotográfica. Depois de satisfeito, abri minha mochila e comecei meu lanche, observando as pessoas e o grupo. De repente, aparece um casal (visivelmente já alterados, mas muito felizes) me pedindo para tirar uma foto deles pegando a torre. Foi um pedido inusitado, e no meu fraco francês eu concordei, coloquei a máquina logo no modo automático e tirei umas 2 fotos do casal, muito alegres. Infelizmente, meu celular tinha ficado no hotel por falta de bateria e não tinha nada para anotar o email deles, e eles acabaram falando para "ficar na lembrança", ou algo parecido, se despediram e foram embora. Achei o episódio to inusitado e a mesmo tempo interessante. Essa cidade me impressionou ! Deixo aqui a foto do casal bem irreverente e aparentemente bem apaixonado, nessa cidade também apaixonante. Quem sabe um dia eles acham essa foto por aqui ???

     Exatamente às 00:00 a torre começa a piscar, como programado, e muitas pessoas gritam de alegria, e realmente, a torre fica mais linda ainda. Maravilhosa, uma cena imperdível, e fiquei feliz de ter ido lá presenciar. Depois, já tarde e tendo que acordar cedo para partirmos para Londres, arrumei minhas coisas e voltei para o hotel. 






Casal desconhecido