14 de outubro de 2014

Dia 4 - Corcovado, Fluminense, Colombo

Corrida

     Mais uma vez acordei cedo, umas 7:00 para correr na praia, e como sempre, muito prazeiroso. Ida e volta em Copacabana em um ritmo tranquilo, sem cansar é ótimo para começar o dia. O dia amanhecer claro e aberto, iria fazer muito sol neste dia.

     Depois do café da manhã no hotel, nos arrumamos e partimos para a parada de ônibus, e pegamos o ônibus que passava no Corcovado. Chegamos e desembarcamos em frente à Paróquia São Judas Tadeu, Cris queira visitá-la também, mas não foi possível. 
     Dali, tínhamos 2 opções: ou íamos de Van até o pé do Corcovado ou comprávamos um bilhete no trenzinho que nosnleva lá também, acho que até mais
acima. Mesmo tendo que esperar mais ou menos 1 hora, preferimos o trenzinho, pois como não aproveitar esse passeio único quando se está visitando um local ? Ainda mais para o Gabriel que nunca tinha ido lá ! Os bilhetes tem horário marcado, e como chegamos lá já tarde, tivemos que esperar bastante, mas o tempo passou rápido, esperamos um pouco na pracinha ao lado (muito mau conservada) e depois, quando chegou perto do nosso horário, ficamos mais dentro do local onde a fila já começava a se formar, e aproveitamos para tirar umas fotos de alguns locais lá dentro. 

Corcovado

     Chegada nossa hora, entramos na fila que já estava se formando e aguardamos. Logo que o trenzinho chegou e abriu as portas as pessoas foram liberadas e se amontoaram nas entradas dos vagões. Felizmente, não sei como (mas foi Gabriel que conseguiu), conseguimos sentar bem na frente do primeiro vagão. Não que ali fosse melhor, pois qualquer lugar iria ficar muito bem, mas gostei de lá. 
   

     O bondinho nos deixou em uma estação perto do Corcovado. Lá em cima ainda subimos bastante
para chegarmos até o pé do Cristo Redentor. Chegando lá, notamos que o tempo, apesar de ter amanhecido com sol, fechou um pouco. Na verdade ainda estava ensolarado, mas baixou uma nuvem bem aos pés do Corcovado, dificultando a visão da cidade. Lá em cima, muitos turistas aproveitavam a vista e o passeio. A nuvem estava tão espessa que quase nem deu para tirar fotos do Cristo, pois ela toda hora o encobria, tinha que esperar o momento certo para tirar com ele aparecendo.  Fotos da cidade estava praticamente impossível mesmo, tudo obstruído. Tínhamos que aproveitar algumas falhas para conseguir ver alguma coisa. 

     Depois de aproveitar mais  um pouco, a fome bateu e resolvemos voltar para almoçar. Tínhamos visto um restaurante logo no pé do Corcovado e resolvemos parar lá para almoçar. O lugar estava cheio, mas esperando só um pouco conseguimos
uma mesa para nos sentarmos. O restaurante era simples, nada sofisticado, mas me surpreendeu, pois a comida não era cara e era muito caprichada ! Pedimos um prato para 2 e veio um para 4, praticamente, muito bem servido, e parecia aquela comida brasileira feita em casa.

Fluminense

     Terminada nossa visita ao Cristo Redentor, voltamos pelo trenzinho e pegamos outro ônibus. Desembarcamos então no bairro das laranjeiras, pois Gabriel queria visitar a sede do Fluminense. Chegando lá, ele e Cris foram visitar, mas eu resolvi ficar de fora desse passeio e fiquei passeando pelo bairro, onde encontrei a sede do Governo do estado bem ali pertinho. 

  Confeitaria Colombo

   Depois de lá, pegamos mais um ônibus, dessa vez para o centro, pois a Cris queria fazer um lanche
na famosa Confeitaria Colombo. Chegamos lá também facilmente e pegamos a fila para entrar, que não estava pequena mas também não estava enorme. Esperamos só um pouco. O local é muito bonito, com decoração como original de décadas atrás, espelhos gigantes já antigos, talvez originais, ocupando toda a parede. Lá era tudo que a Cris gosta, e aproveitou ao máximo, pedimos um lanche completo, muito caprichado e ainda comeram uma super sobremesa. 

     Saímos de lá já era noite e fomos direto para o hotel.