12 de abril de 2017

Santiago - Vinícola Santa Rita


     A Santa Rita é uma antiga vinícola do Chile, e guarda muita história. Foi em seus vinhedos que a uva Carmenére foi redescoberta, depois de estar considerada extinta por praticamente 1 século. 


     Combinei minha ida à Santa Rita com a visita à Concha Y Toro, pois elas estão localizadas na mesma região (Pirque). A ida foi tranquila, pois peguei um Uber na da Concha Y Toro para ela e de volta também peguei outro Uber até a estação de metrô da Plaza del Puente Alto.

     Esta era uma visita muito esperada, pois havia programado algo muito especial para ela. Normalmente eu procuro para ver se o local possui um restaurante, mas além de ter um muito bom, a vinícola possui um café que oferecia um Picnic bem especial. É claro que não queria perder essa oportunidade única e reservei para este dia. 

     Chegando lá, me dirigi diretamente ao café, onde efetuei o pagamento e esperei até que a cesta estivesse montada. Eles já haviam pré-preparado, mas faltavam alguns itens, como os sanduíches quentes. A cesta foi preparada para 2 adultos e 1 criança, que recebe uma mini-cesta com os itens , inclusive alguns especiais, como quebra-cabeças, e itens para desenho. 


Picnic

Picnic em Família
     O Café cuidou de tudo para nós. Montou tudo e levou as cestas do Picnic, contendo toda a comida, bebidas e toalhas, junto com 2 cadeiras desmontáveis para o local, um lindo gramado debaixo de uma enorme árvore, a maior que tinha por lá. Isso nos forneceu uma sombra espetacular, e isso foi muito importante, devido ao calor infernal que fazia. Ficamos muito à vontade lá !

     A cesta é muito caprichada. Continha uma tábua de frutas secas, tábua de sanduíches, refrigerantes, 2 garrafas de vinho seco reserva 375ml (um branco e outro tinto), frutas, taças, pratos e talheres. A cesta infantil continha um sanduíche mais simples, típico que as crianças gostam, além de refrigerante (ou suco), fruta e outras coisinhas, como alguns materiais para distração (quebra-cabeça, lápis para desenho, etc.).

     Foi um momento ímpar na viagem, um momento onde desfrutamos de uma paz, tranquilidade e união. Um momento que não é comum, principalmente em viagens para longe, ainda mais com uma paisagem tão linda como os Andes de um lado e os vinhedos do outro. 

     Programação NOTA 10 !
Atacando as frutas secas
Game nos Andes
Momento descontração
Desfrutando a natureza


Tour

     Saindo do Picnic na correria (pois estávamos tão à vontade que não queríamos sair dali) fomos para a recepção onde começaria nosso tour. Chegamos lá na hora exata, e o tour já estava começando, mas eu acabei perdendo o início das explicações, pois ainda tinha que efetuar o pagamento. Vale lembrar aqui que os tours nas vinícolas de lá só adultos pagam, mas nesta eu fiz questão de pagar uma taxa para o Gabriel, pois assim a vinícola oferecia na degustação uma taça e um suco para as crianças que compraram este pacote.

Vinhedo cheio
      Começamos o tour pelos vinhedos, onde a guia nos contava a história da vinícola e da uva Carmenére redescoberta por lá. Neste momento, ela fez questão de frisar que era proibido tirar as uvas dos pés, o que fiquei muito triste, pois elas estavam convidativas para provar e também porque a Bia ia adorar comer algumas, como ela fez muito à vontade na Concha Y Toro.

     Neste tour, passamos por toda a vinícola, foi o mais completo que fizemos por lá, pois incluía a seção de produção, com os tonéis de inox ainda cheios de vinho até a linha de engarrafamento e rotulagem, que pudemos ver de uma janela, lugares que não vimos nas outras vinícolas.

     No final, entramos em um grande corredor onde em cada lado estão guardados diversos vinhos, organizados por ano, onde cada ano um é retirado para prova e análise da evolução do mesmo ao londo dos anos. O local parece mesmo é um velho museu, onde existem garrafas tão antigas lá que o vinho já se tornou vinagre há muito tempo, e que as garrafas  estão cobertas por crostas de poeira.

    Lá, somos colocados em frente a algumas estátuas simulando um ambiente de uma história contada pela guia, a história que originou um dos vinhos ícones e mais conhecidos da Santa Rita, o 120. A luz é apagada e um pequeno teatrinho de jogo de luzes acontece. Neste momento, senti uma pequena "rixa" entre a Santa Rita e a Concha Y Toro, como se estivessem disputando quem tem o melhor tour.

     Findo o tour, ficamos por ali em um grande balcão, onde somos servidos de vinhos para degustação. Mais uma vez, minha frustração. Tinha em mente que, no pacote da degustação com suco que comprei para o Gabriel, iriam servir um suco de uva integral em uma taça, simplesmente para a criança (que no meu tinha 14 anos), se sentir mais integrado, como um igual entre os adultos que ficavam degustando os rótulos. Mas o que aconteceu foi que a guia deu uma caixinha de suco desses industrializados para cada criança que comprou o pacote e informou que a taça ela poderia levar, o suco não era nem mesmo de uva! Simplesmente assim, achei uma falta de sensibilidade total e muito sem graça para eles.  Se soubesse que fosse desse jeito, eu mesmo teria levado um suco de uva para ele.

      Outra coisa que não gostei, e que foi igual à Concha Y Toro, foi que, no tour, a propaganda da vinícola é o vinho 120, que faz muito sucesso. No entanto nenhum 120 foi posto para degustação.
Degustação
Degustação
      Não gostei também de nenhum dos vinhos oferecidos. Quiseram fazer uma comparação entre vinhos de carvalho francês e americano, mas mudaram o tipo da uva na degustação dos dois, o que compromete totalmente esta comparação. Isso também influenciou muito na minha visita à loja, pois preferi comprar mais vinhos da vinícola Carmem do que da própria Santa Rita !
Tour
Linha de Produção
Teatrinho
Depósito
Corredor museu-degustação
Caves