12 de julho de 2017

Foz 2º Dia: Cataratas do Iguaçu



     Considerada uma das 7 maravilhas do mundo moderno, resolvi que a primeira coisa a se conhecer nesta viagem seriam as Cataratas. E para marcar melhor nossa passagem por lá, contratei um super fotógrafo, o Chris Borges (que estarei em breve liberando uma postagem sobre essa experiência),  que registrou todo o nosso passeio por lá.

As Cataratas

     Acordamos cedo, havia lido que, quanto mais cedo chegar, melhor, menos pessoas e melhor para tirar fotos. O Parque abre às 09:00 e chegamos por volta das 9:05. Como estávamos de carro, estacionamos no estacionamento lateral oficial (R$ 18,00 a diária). Chegando na entrada, quase levei um susto, uma fila imensa já estava formada. Como havia comprado os ingressos pela internet (sempre faço isso), não precisei pegar fila, havia um guichê para trocar o voucher pelos ingressos e fui direto nele. Então aí está a dica: compre pela internet com antecedência ! Há também totens de auto-atendimento para compra de ingressos, nosso fotógrafo Chris utilizou para comprar o dele e achei que foi muito rápido. 
Fila do embarque
Transporte para as Cataratas
     Depois da fila do ingresso você entra em uma outra fila para embarcar um um ônibus que te levará até o início das trilhas, que fica em frente ao Hotel Belmond. Essa fila é grande, mas anda bem rápido, pois os ônibus chegam logo e a fila anda até encher. O nosso nem ficou cheio e já saiu. 

     Chegando no início da trilha, encontramos nosso fotógrafo lá e começamos nosso passeio. Já havia ido nas Cataratas quando criancinha, mas não me lembrava de toda essa beleza (somente da Garganta do Diabo). Logo ali temos nosso primeiro mirante, uma vista ampla de grande parte das cascatas, uma maravilha da natureza, uma visão espetacular. Este mirante costuma encher muito, pois é o ponto de partida de todos, a primeira visão que se tem das cataratas, então muitos demoram mais por lá. 
     Bia ficou apaixonada pelos quatis que andam soltos pelo parque e ficam a procura de comida. Existem muitos avisos para não mexer com eles, mas muitos ignoram (eu não arrisquei!), coloquei nossas bolsas no chão para tirar algumas fotos e um logo foi fazer a revista....

Primeiro Mirante
Quati
   As trilhas das cataratas do lado brasileiro (em breve, as cataratas do lado argentino!) são muito simples. No entanto, não recomendo irem com carrinho de bebê (não levamos o nosso, ainda bem!). Existe apenas uma trilha que vai em direção à garganta do diabo, com tamanho para umas quatro pessoas, é feita com cimento e possui várias escadas.

     Descemos para uma área mais vazia (à direita do mirante), cujo acesso inicial foi fechado e acabou isolada. A trilha oficial para a garganta começa à esquerda do primeiro mirante Lá é um ótimo lugar para tirar lindas fotos, longe do tumulto, pois poucas pessoas vão lá.
Segundo Mirante
Trilha Brasileira
Segundo Mirante

Na trilha
     Continuando a trilha, existem alguns outros mirantes para tirar fotos da paisagem, a maioria deles bem pequeno e muito disputado, com filas imensas para tirar fotos, pois alguns deles só dá para ficar uma família para tirar uma foto. Existe também, no meio do caminho, uma estrutura com banheiros e lanchonete. Atenção: é difícil arrumar algum lugar para colocar as bolsas e afins. Eu estava com a bolsa da Bia e a minha bolsa da minha máquina fotográfica e em vários momentos fiquei sem onde colocá-la. Na maioria das vezes o Chris nos ajudou para tirarmos as fotos, mas se você não tem ajuda, vai ter que carregar. Em um ou outro momento consegui dependurá-las em um corrimão, mas você corre um grande risco de ser roubado, visto que é fácil se distrair por lá.

Momento a dois
     No final da trilha existe uma grande estrutura, com 3 andares de plataformas. Nesta estrutura existe 2 elevadores que levem à parte superior, onde existe um restaurate (o Porto Canoas) e mais abaixo existe uma lojinha com lembranças, onde entrei para comprar umas capinhas para a Cris e Bia (R$ 15,00 cada). O andar de baixo dá acesso à plataforma da Garganta do Diabo. Tiramos mais fotos por lá e fomos para a plataforma.

     A visão de lá é incrível. São cascatas gigantescas, tanta água que molha todos ali na plataforma, mesmo estando a uma distância considerável. Bia não quis colocar a capa (nem eu quis uma para mim), nos molhamos bem, mas nada de ficar encharcado. Deve-se ter também muito cuidado com chapéus ou bonés, pois o vento resultante das quedas é forte e pode levá-los. Havia neste dia muita gente por lá, então foi muito difícil (mas não impossível) tirar fotos (só selfies mesmo).

     Na volta, você tem 2 alternativas: elevador ou trilha. Desistimos do elevador, pois havia uma fila imensa, iria demorar muito e o local é super apertado, quase não conseguimos passar, pois tem espaço para apenas uma pessoa, então voltamos pela trilha, que foi muito rápida. Lá em cima, Bia já exausta, desmaiou antes mesmo de pegarmos o ônibus de volta. 
Garganta do Diabo
Garganta do Diabo
Garganta do Diabo

Garganta do Diabo

     De lembrança, Bia levou para casa um novo amiguinho: o Quati.

Bia e seu Quati


Brasa Burger e Chiquinho Sorvetes

     Saindo das Cataratas, pegamos o carro e voltamos para a cidade. O almoço seria simples neste dia. Gostaria muito de experimentar o Porto Canoas, mas nas minhas pesquisas li que era caro (acho que R$ 70,00 o buffet sem bebida nem sobremesa) e não valia muito a pena, só a vista mesmo.
     Fomos então ao Brasa Burger, a mesma sanduicheria que havia comprado alguns sanduíches para comermos no hotel quando fui no supermercado e Cris gostaria de conhecê-la.

     O Brasa Burger é uma sanduicheria muito boa. Produz sanduíches com carnes artesanais e diversos outros pratos, além das batatas fritas serem opcionais. Cris e Gabriel pediram hamburguer, mas eu escolhi um prato executivo. Todos os pratos lá são caprichados, tanto em tamanho quanto em conteúdo. O meu prato executivo estava bom, mas bem simples, o padrão dessas lanchonetes, mas com certeza era melhor do que comer um hamburger !
     Do Brasa Burguer atravessamos a rua e fomos tomar um sorvete no Chiquinho Sorvetes, com sorvetes caprichados. Minha escolha foi um açaí com morangos, que me surpreendeu pois tinha morangos picados em todo o pote, não somente por cima ! Nota 10 !

Brasa Burger
Prato Executivo
Chiquinho Sorvetes
Açaí


Hotel

     A programação do dia já estava feita, então voltamos para o hotel, onde passamos a tarde na piscina quente, uma corrida na esteira da academia e uma sessão de pingue-pongue, totó, air disc e sinuca com o Gabriel no Salão de jogos.
Piscina Quente
Piscina Quente
Salão de Jogos
Salão de Jogos
Academia


Pub Inglês
     À noite, ficamos no hotel e fomos fazer um lanche no Pub Inglês, um espaço muito legal nas dependências do hotel, que fica perto da brinquedoteca, piscina quente e do espaço onde são feitos os eventos noturnos, como o Karaokê. Lá, eu e Cris pedimos uma omelete e Gabriel um açaí. Os lanches são bem caprichados e o preço é razoável e são os mesmo servidos no bar (na verdade são todos feitos lá no bar). Depois do lanche emendamos a noite em uma sessão de boliche ali mesmo. O local tem 3 pistas de boliche ao preço de R$ 48,00 a hora. Até a Bia aproveitou e jogou boliche também ! Ótima noite, ótimo dia !

Lanche no Pub
Açaí
Omelete
Boliche
Boliche
Boliche
Bia no Boliche
Bia no Boliche
Boliche


Aguarde o vídeo deste dia (em Breve) !