30 de março de 2018

Meia Internacional de SP 2018 - Corrida, Aquário e Volta




Chegando na Praça
     Chegou o dia ! Acordei bem cedo, estava bem descansado, me arrumei e parti para a Praça Charles Miller, no Estádio do Pacaembú.
     Peguei um Cabify, o trânsito estava bem tranquilo (pudera, era domingo às 6:00!) mas chegando lá já uma grande fila se formava no trânsito, na pista que chegava na praça. Pedi para o motorista parar antes mesmo de entrar na imensa fila e fui andando até o local, mais ou menos 400m. Muitas pessoas me acompanhavam.

     A praça é grande e estava toda ocupada. Muita gente já estava por lá, muitas tendas de patrocinadores, alguns distribuindo café para o pessoal, outros ainda montando suas cortesias  para atletas cadastrados. Faltavam ainda uns 20 minutos para a largada e fiquei por ali tirando algumas fotos e me alongando. 

     Estava tudo muito bem organizado, mas uma coisa que notei é que faltava muita animação. Havia apenas uma pessoa falando algumas instruções no microfone lá na frente, mas sem música, sem muita animação como normalmente existe aqui em Brasília, onde o pessoal faz até um aquecimento coletivo. Ouvi falar que houve um problema na largada, mas não fiquei sabendo, simplesmente vi o pelotão de elite passando do nosso lado e as "ondas" começaram a andar. Logo estava passando pela linha de largada.
"It's my life
It's now or never
I ain't gonna live forever
I just want to live while I'm alive
(It's my life)" 
      E foi assim que comecei minha corrida. Quase arrepiei quando ouvi essa música ao tocar no play do meu relógio. Perfeito !
     Toda a corrida foi boa, a organização colocou os postos de hidratação muito bem posicionados e não faltou lugar da corrida onde eu sentisse sede. O percurso passa por muitas ruas da cidade, com muitas curvas, então parece que a corrida é mais rápida, pois você se distrai mais fácil.

     Terminei a prova em 1h e 59m, ainda com fôlego, num total de 21,55km.

Partindo para a Corrida
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP
Meia Internacional de SP


Starbucks

     Depois de voltar para casa e tomar um bom banho, saímos para tomar o café da manhã. Cris quis ir em um Starbucks, lanchonete paixão dela que não existe em Brasília. Escolhi então um Starbucks localizado em Moema, que havia visto em nossas andanças nos dias anteriores pelos restaurantes. 
Feira

     Pegamos um Uber até lá, mas ele não pôde parar em frente da lanchonete, pois nas ruas em volta dela estava acontecendo uma feira (que deve acontecer todo domingo). Paramos na rua ao lado e andamos no meio da feira, sentindo o clima dos moradores de São Paulo no domingo de manhã. Foi muito interessante ! 

     A lanchonete estava perto e fizemos nosso lanche lá. Eu particularmente não acho lá muito confortável, é tudo no estilo americano pensando no esquema Grag'n go (pegue e saia), mas mesmo assim possui várias mesas (só que são bem pequenas) e alguns sofás. do jeito mesmo para você ficar só o suficiente. A variedade dos lanches para mim também não é muito boa, mas acabei comendo um sanduíche natural de frango que tinha por lá, minha salvação, mas para quem gosta de café e lanches/guloseimas é ótima !
Starbucks
Starbucks
Starbucks

   

Aquário de São Paulo


Aquário de São Paulo
     Saindo da Starbucks voltamos para "casa", arrumamos nossas malas e partimos. Cris havia marcado a volta pelo aeroporto de Guarulhos, nosso avião iria sair apenas às 18:40, então pensei em pararmos para conhecer o Aquário de São Paulo, muito recomendado, pois ele fica no caminho para o aeroporto. 
     Comprei nossos ingressos pela internet diretamente no site do aquário. Dei sorte pois nesta mesma semana lançaram uma promoção cujos ingressos ficaram 50% mais baratos. Comprei logo e entramos no famoso aquário sem mesmo enfrentar nenhuma fila. 

     
     Logo na entrada vemos diversos aquários com os mais variados tamanhos. Bia adorou ver tudo aquilo, especialmente as tartaruguinhas. Ficou muito impressionada quando chegamos a um enorme "aquário" com várias tartarugas grandes e alguns jacarés, sendo que um deles estava do lado do vidro. 
Tartaruga
Jacaré
     Continuamos nosso passeio (empurrando as malas de bordo junto), vimos diversos animais aquáticos, inclusive algumas raias bem grandes e outras pequenininhas que ficavam se arrastando no vidro e eram até engraçadas. Chegamos então em uma réplica do interior de um submarino, onde se encontrava um imenso aquário com diversos tubarões e um deles ficava passando bem perto do vidro, onde estávamos.
Raia
Tubarão

     De lá, chegamos na área que Bia mais adorou, um enorme ambiente com diversos pinguins ! Bia adora todos os animais, ela gosta de brincar mais com eles do que com as bonecas dela. O pinguim é um dos que ela mais gosta, é sua preferência. Ficamos ali vendo os pinguins um bom tempo. Quando passamos para a próxima sala, era uma extensão do ambiente do pinguim, mas era também uma lojinha, e ela achou uma prateleira com um monte de pinguim de pelúcia. Foi logo pegando um e continuou olhando os pinguins de verdade. 

Pinguins
Bia e os Pinguins

Surfista

     Consegui convencê-la de deixar o bichinho ali (não foi fácil, mas foi bom) e continuamos nosso passeio. Logo depois entramos em uma área que não tem muito a ver com aquário, uma área com diversos animais, da áfrica e austrália. Lá vemos suricatos, ursos coala, macacos e outros animais não aquáticos. Achei que ficaram meio deslocados para o propósito do lugar, mas tudo bem... 
Macaco
Canguru
Suricatos
Lémure
Coala
Austrália

     Entramos então na última sessão, que parece ser uma sessão mais nova, a dos Ursos polares. Passamos pelo chamado restaurante (veja mais abaixo nossa experiência nele) e rodeamos um enorme aquário, chegando no ambiente dos Ursos polares. Ele estava neste momento dormindo, e ficou por lá sem nem se mexer enquanto estávamos passando. Rodeando mais ainda, chegamos no ambiente dos lobos marinhos, um deles estava nadando sem parar e outro pegando um bom sol.

     Neste momento, senti mais forte o que sempre sinto nesses ambientes, assim como um zoológico: uma tristeza de ver animais que precisam de muito espaço, precisam viver com a natureza, livres, enclausurados em pequenos espaços. Vou a esses locais eventualmente, acho importante a Bia ver esses animais de verdade, mas sempre sinto muita pena deles. Não vejo motivo (a não ser financeiro, é claro) para um local desses ficar com um Urso polar em uma sala. Entendo que alguns lugares o fazem com alguns animais para recuperação e preparação até que estes sejam aptos a voltar para a natureza, mas ali não é esse caso.
Pequena Pausa para descanso
Urso Polar
Lobo Marinho

     Terminando ali o passeio, voltamos para o restaurante para finalmente almoçar. Já estava com muita fome e queria comer logo. Cris cogitou irmos para outro lugar, mas eu pessoalmente preferia ali, para que não nos atrasasse muito, ainda tínhamos que ir para o aeroporto e estávamos com as 4 malas, nada muito legal de se ficar se deslocando demais.

Esperando o Almoço
     Ficamos por lá e pedimos os almoços. Na verdade esse restaurante está é mais para uma lanchonete, vende essencialmente hambúrgueres, mas consegui achar no cardápio alguns pratos prontos, pois não como mais hambúrgueres. O local é bem legal, com alguns objetos dependurados no teto, me fez parecer que estava em um cenário do filme do Indiana Jones.
       Fiz os pedidos e, como lá só vende industrializado e não havia suco natural, fui em um quiosque de sucos e açaí perto dos Ursos Polares que vendia vários tipos de sucos. Havia passado por lá e perguntado sobre os sucos na ida, e apesar de o cardápido estar repleto de sucos e suas variedades, a menina do quiosque me informou que naquele momento só dava para fazer sucos de morango, abacaxi e outra fruta (que não me lembro no momento).
Comida ao Lobo Marinho
     Chegando lá,  o suco que havia disponível naquele momento era só o de morango. Sem alternativa, pedi então um suco grande (para mim e para a Bia), mas aí fui informado que não havia morangos suficientes para um suco grande, apenas para o pequeno. Desisti do suco e falei que depois pediria um açaí. Nesse momento a menina me falou que também não havia mais açaí, pois ela estava fazendo os últimos 5 potes eu que somente teria para um suco de açaí. Aceitei então o suco de morango pequeno...
     O serviço no quiosque estava lento, tive que esperar que a menina fizesse os 5 potes de açaí encomendados por uma família para finalmente fazer o meu. Enquanto esperava, a cuidadora dos animais entrou no ambiente do lobo marinho para dar comida para ele.

Que "Super" almoço...
     Quando meu suco ficou finalmente pronto (sério, esperei mais de 20 minutos ali), voltei correndo para o "restaurante", pois pensava que nosso pedido já estava esfriando há tempos, principalmente porque não estava cheio, mas quando cheguei na mesa o almoço ainda não estava pronto. Esperamos mais alguns minutos e fui buscá-los, e adivinha minha decepção... meu prato, veio em um daqueles de plástico pequeno, composto basicamente de metade arroz (branco), feijão, um pedaço minúsculo de frango (se tinha 50g era muito) e muita batata frita por cima de tudo. Eu, morrendo de fome, ia comer tudinho assim mesmo (sem a batata), mas Bia também estava com fome e acabou levando grande parte do prato. Continuei com fome, não tinha coragem de comprar outro prato daquele e ainda esperar muito tempo para isso, e acabei comendo umas barrinhas que sobraram da corrida e estavam na minha mala.

     Terminado o "super almoço", resolvi conhecer com o Gabriel a atração Aquário Abaixo de Zero, uma atração "barata", mas tão simples que nem valia a pena. É um carrinho que andava em um trilho mostrando cenários de animais da era do gelo. Interessante, mas extremamente simples, bom para crianças, não para "crescidos" como nós.
Aquário Abaixo de Zero
Aquário Abaixo de Zero

     Pegamos então nossas malas e fomos para a saída. No caminho havia então um simulador VR de montanha russa. Gabriel quis ir e até me chamou, mas eu passo mal nele, fico enjoado (fui em um na casa de um amigo que tem o ókulus). Gabriel foi sozinho e adorou.
Simulador VR
Simulador VR

Sereias

 Mas antes, bem ao lado da saída, uma "multidão" estava se formando em frente a outro aquário: eram as sereias ! Ali 3 "sereias" ficavam mergulhando, acenando e soltando beijos aquáticos para os visitantes do parque. Uma atração linda para as crianças, que ficavam grudadas no vidro. 


   Saindo de lá, pegamos outro Uber para o Aeroporto de Guarulhos, uma viagem de 40 minutos naquele domingo, pois o trânsito era muito tranquilo. Pedi um UberSelect para maior conforto de todos, estávamos cansados e um deslocamento assim seria bom com um conforto a mais. O carro selecionado foi um Fiat Freemont, ótima escolha.

     Chegamos bem em cima da hora do embarque estar começando ! Achei que fôssemos chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência, levei até um susto ! A viagem de volta foi muito boa, avião melhor que o da ida, mais espaçoso e muito pontual. Chegamos em Brasília felizes, viagem curta mas muito divertida ! Que venha a próxima !

Voltando para casa
Pinguim no Avião
Volta no Avião