5 de julho de 2021

Passeio a Porto de Galinhas


        Como Serrambi é do ladinho de Porto de Galinhas, por que não dar uma volta por lá para a Bia conhecer um pouco da cidade, passear nas jangadas e nadar com os peixinhos. 

        Para irmos para Porto de Galinhas, tentei primeiro chamar um Uber ou um 99 Pop pelo celular, mas naquele momento, não tinha nenhum carro disponível. Não sei se o serviço não existe por lá ou foi azar o meu naquela hora. Pesquisei preços de táxis, mas cada trecho iria custar por volta de R$ 100 ! 

        Recorri então aos serviços do hotel. Contratei o translado ida e volta que custou por volta de R$ 130,00, onde o motorista nos deixaria em Porto de Galinhas e nos traria de volta assim que fizéssemos tudo por lá, hora livre. Fizemos isso então, mas o motorista demorou bastante para chegar e a empresa responsável nos recompensou com uma parada em Maracaípe sem custo (da viagem) para fazermos o passeio do cavalo marinho. 

        Partimos então e em cerca de 10 minutos já estávamos chegando em Porto de Galinhas. O motorista nos deixou bem na rua com muitas lojas que a gente anda direto até a praia onde podemos andar de jangada e ver as piscinas naturais.

        Neste ponto, é importante você dar uma pesquisada antes de ir, pois só dá para ir na maré baixa, quando as piscinas naturais são acessíveis. Senão você corre o risco de não poder ir. 

Jangada de Porto de Galinhas
        As piscinas naturais só podem ser acessadas pelas jangadas. Então você tem que comprar um ingresso de R$ 15 por pessoa mais ou menos. Existe um ponto de venda bem na entrada da praia, você compra ali mesmo e entra em uma fila para esperar te colocarem na jangada, ali mesmo na praia. O MAIS IMPORTANTE é você se informar ANTES, pois o passeio depende da maré, só pode ser feita na maré baixa, pois a alta tampa os recifes e as piscinas naturais. No dia que fomos não estava muito cheio não, mas tinha bastante gente. Não esperamos muito e o jangadeiro veio nos pegar, e nesta época de pandemia, todos deviam ficar de máscara para embarcar e limpar as mãos com álcool em gel. 



Praia das Jangadas
Época de Pandemia
Passeio de Jangada
Passeio de Jangada


     Depois de todos embarcados, o jangadeiro começa a travessia. Agora não se engane, se você está pretendendo fazer um passeio de jangada de meia hora (so para ter uma idéia) fique sabendo que esse passeio é apenas para tirar você da praia até os recifes, que ficam a uns 40-50 metros de distância. É rapidinho mesmo, você sobe na jangada, ela começa a navegar e quando você vê, ela já chegou nos recifes. Ali, você desembarca e começa a caminhar pelos recifes (não se esqueça dos seus chinelos!) até as piscinas naturais, onde algumas são apenas para olhar (como a com o formato do Brasil) e outras onde você pode mergulhar, com um óculos e snorkel que o jangadeiro te empresta.

     Ali não se pode demorar demais, pois tem muitas pessoas visitando, mas tem tempo suficiente para você aproveitar bastante. Eu mergulhei e a Bia veio junto, mas ela ficou querendo se segurar em mim e eu ficava afundando, aí ela teve que sair, pois estava perigoso, mesmo ela sabendo nadar. Então é melhor você garantir sua tranquilidade e levar uma boia de braço para as crianças se você quiser aproveitar um pequeno mergulho e observar os peixinhos ali.



Piscinas Naturais
Piscinas Naturais

Dali, voltamos pela cidade e paramos em uma lanchonete para tomar um delicioso sorvete. 



Porto de Galinhas
Porto de Galinhas
Porto de Galinhas
Porto de Galinhas
Porto de Galinhas
Porto de Galinhas


Passeio de Jangada
     Na volta, como nosso motorista havia demorado para nos pegar no hotel, ganhamos uma parada sem custo no passeio dos cavalos marinhos. Os preços do passeio são os mesmos da jangada. A saída já era diferente da que fomos anos antes, somente com o Gabriel, onde antes era parte do passeio, agora é a saída. Não tinham muitas pessoas lá e nossa jangada partiu logo pelo mangue. A jangada normalmente leva duas famílias, dependendo do tamanho, cabem até umas 6 pessoas. 
    O jangadeiro vai subindo o mangue até uma parte onde ele mergulha com um pote de vidro e captura um (ou dois) cavalo(s) marinho(s) para mostrar para a gente, explicando algumas curiosidades sobre eles para a gente. 
     Mais para cima, paramos e o jangadeiro pega alguns siris para mostrar para a gente, e conseguimos um de um tamanho razoável para a Bia pegar sem medo, mas às vezes pode-se achar alguns bem maiores.


Passeio de Jangada
Cavalo Marinho
Parada do Siri
Passeio de Jangada
Siri
Siri

     De lá, voltamos para o hotel para aproveitarmos mais uma piscina noturna e o jantar caprichado. Foi um excelente dia !!!

Serrambi Resort
Serrambi Resort
Serrambi Resort

10 de março de 2021

Gramado Cancelado!


 

      Isso mesmo! Como havia postado anteriormente, programamos uma ida a Gramado (de novo) para passar a páscoa lá. No entanto, com toda essa pandemia rolando, e nada de se resolver, nossos vôos foram cancelados pelas empresas aéreas, além de todas as festividades de páscoa terem sido canceladas em Gramado e fomos obrigados a cancelar todos os planos. 

       Estamos deixando para ano que vem, torcendo para que tudo volte ao normal. É isso aí, vamos ver se conseguimos um passeio por perto mesmo, para não perder as férias já marcadas ! 

       Enquanto isso, tenho que terminar os posts de Serrambi ainda. Peço desculpas, mas Home Office e curso on-line tira todo nosso tempo disponível para esses hobbies. 


      Abraços a todos e se cuidem !

12 de janeiro de 2021

Mergulho - Batismo



        Na minha infância, sempre que íamos passar o verão em Guarapari, eu costumava mergulhar com meu irmão nas costas da praia, mergulho livre, apenas com snorkel, máscara e pé de pato. Sempre amei o mergulho, ver o fundo do mar, íamos praticamente todo dia para praia mergulhar e passávamos a manhã toda lá, só voltávamos depois do almoço. 
        A profundidade não era muita,às vezes 4 metros, ou 6 metros em alguns lugares, mas mesmo assim era fantástico, víamos muitos animais marinhos, estrelas, lesmas, peixes e quando víamos alguma moréia, saíamos correndo!

        Na época, como gostava tanto, quando meus pais nos comprou o equipamento de mergulho, comprou também um livro com instruções e dicas sobre o esporte, livro que não me lembro o nome (tinha uma capa azul), mas foi muito importante para mim e que eu o absorvi e apliquei nos meus mergulhos e até hoje me lembro de diversas de suas instruções, que serviam não apenas para o mergulho livre, mas também para o mergulho profiossional.

        No entanto, nunca mergulhei de cilindro. Nunca tive essa oportunidade ou sempre dei mais prioridade a outros tipos de passeios nas minhas viagens, ou também sempre preferi fazer esse tipo de atividade quando fosse em algum local com águas cristalinas ou algo parecido.

Mergulho
            Só que no hotel Serrambi Resort havia essa escola de mergulho, a Abissal, que oferecia o batismo de mergulho com cilindro. Gabriel também nunca teve contato com esse tipo de atividade, e então resolvi comprar o pacote (que custava R$ 300 por pessoa) de batismo, com um mergulho de 30 minutos. 
            
        Combinamos o dia e a hora do mergulho, que depende muito da maré. Não pode estar muito alta, pois dificulta o mergulho.  A escola marca um treinamento para ser feito um dia antes do mergulho. Esse treinamento visa você conhecer o instrutor que nos irá acompanhar no mar, testar, ajustar e aprender tudo sobre o equipamento que usaremos no mergulho no mar.
    
        O treinamento foi marcado para o dia anterior do mergulho, no final da tarde na piscina do hotel. Lá conhecemos nosso instrutor que nos orientou sobre todo o equipamento que iríamos usar, ajustou todos para nosso uso no dia seguinte e ali mesmo, naquela piscina fizemos fários pequenos mergulhos para experimentarmos. 

        A sensação é bem diferente (claro!) do que fazia no mergulho livre, onde ao descermos, temos que prender a respiração e aproveitar enquanto o corpo consegue ficar sem ar. Ali, com o cilindro, ficamos à vontade para ficar por muito tempo, e eu estranhei um pouco quando pude respirar debaixo d'água. Uma sensação estranha que passa logo e rapidinho você se acostuma. Os pesos (que nunca tinha usado) também facilitam para que você se estabilize no fundo. Resumo: adorei !

        Ficamos na piscina fazendo idas e voltas por bastante tempo, até ficarmos muito à vontade com o equipamento e treinando o que faríamos no dia seguinte. Pra mim, alguns minutos foram suficientes, mas fiquei mesmo assim curtindo por (acho) que uns 30 minutos. 

Treinamento
Treinamento



    
Mergulho
    No dia seguinte, nosso mergulho estava marcado para às 08:00, por causa da maré baixa. Chegamos lá na Abissal no horário combinado, mas o tempo, que estava firme todos os dias até então, estava chuvoso, muito nublado e ventos fortes.
        Os instrutores disseram que não tinha problema, a visibilidade é claro que não iria ser como a de um dia ensolarado, mas não ia ficar ruim, e resolvemos ir assim mesmo, pois no dia seguinte a maré baixa iria ficar cada vez mais tarde e não podíamos fazer. 


Mergulho
        O problema principal foi que a lancha que iríamos até o local do mergulho, que é uma piscina natural perto do hotel, estava encalhada devido à maré baixa, e ninguém conseguia desencalhar, apesar de pequena, era muito pesada. 
        Os instrutores passaram um bom tempo tentando empurrá-la, mas não conseguiram. Fui ajudar, pois 3 empurrando era melhor que 2, mas mesmo assim não deu. Um deles voltou para tentar contactar o marinheiro de outra lancha que já devia ter chegado, mas ele não atendeu. 
        Fiquei com o outro instrutor na esperança de conseguir desencalhar a lancha. Como a maré estava subindo, empurrávamos aos poucos sempre que uma onda batia nela. Às vezes conseguíamos empurrar alguns centímetros, mas ainda faltava muito para ela sair.

        Fizemos muita força, empurramos muito, fomos perseverantes, e depois de quase 1 hora tentando, finalmente conseguimos desencalhar a lancha. Colocamos todo o equipamento nela e partimos para o local. A maré ainda estava boa para o mergulho.

    
Mergulho
    O lugar é pertinho, chegamos em menos de 10 minutos. Com a lancha parada, nos preparamos ali mesmo e mergulhamos. A água estava muito boa para enxergar, é claro que num dia ensolarado ficaria excelente, mas não ficou ruim não. A profundidade ali era de no máximo 6 metros, e havia muitos peixinhos nos corais e recifes. O chão ainda era de areia, então nos limitamos a ficar circulando pelos recifes, onde vários peixinhos se escondiam, outros mais ousados vinham mais para perto, e achamos até uma lagosta escondida por lá. Em certo momento, vimos um coral com dezenas de pequenos peixinhos. 


        No mergulho um dos instrutores registra os momentos com uma super câmera, fazendo fotos e filmagens, sem compromisso, para a compra. É claro que a gente acaba comprando várias, pois ficam muito boas! Veja as fotos mais abaixo ! Não são baratas, mas se vocẽ acabar comprando o pacote com todas acaba saindo bem mais em conta. Verifique! 

Mergulho
        O tempo passou rápido, quando subimos achei que foi rápido demais, mas tínhamos mergulhado por 40 a 45 minutos. Mais do que o previsto. Foi uma experiência maravilhosa, e já estou planejando fazer um curso de mergulho na minha cidade para que eu possa fazer outros mergulhos mais profundos nas próximas viagens, pois esses mergulhos requerem uma carteirinha do curso feito, e dependendo da profundidade, existe o curso básico e o avançado. Já estou à procura para a próxima viagem que possa fazer essa atividade novamente ! Mas posso esperar !

        Na volta, como chegamos já depois das 10:00 da manhã, fora do horário do café, Cris pediu um café da manhã no quarto, que estava muito caprichado ! Era para 2 pessoas mas servia tranquilamente 3 ou 4 !!!

Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho
Mergulho